Aspectos Etnobotânicos da Medicina Popular no Município de Buritis, Rondônia

M. R. A. Santos, M. R. Lima

Resumo


O conhecimento popular sobre plantas medicinais, embora rico de informações, é freqüentemente mal aproveitado, carece de compilação e interpretação, pois é disperso e confuso. O resgate destas informações permite o estudo adequado e a inserção das espécies de interesse farmacológico nos sistemas agroindustriais. O objetivo deste trabalho foi o resgate do conhecimento tradicional quanto ao uso de plantas medicinais no município de Buritis, Rondônia; bem como a identificação taxonômica das espécies utilizadas; e a sistematização das informações etnobotânicas. Para isto, foram realizados questionários estruturados e estudos taxonômicos, identificando-se as famílias mais representativas e a espécie de cada planta utilizada; a finalidade terapêutica, a parte utilizada e a forma de preparo dos fitoterápicos. Identificaram-se 62 espécies, distribuídas em 36 famílias, sendo as famílias Lamiaceae e Asteraceae as mais representativas. A parte mais utilizada das plantas foi a folha, e o decocto foi o modo de preparo mais usual. Observou-se que a maioria dos entrevistados cultivava as plantas consumidas, indicando que estas eram ao menos parcialmente preservadas. Este estudo fornecerá subsídio para novas pesquisas, as quais serão necessárias para confirmar as propriedades terapêuticas da maioria das espécies estudadas.

 


Palavras-chave


Fitoterapia; Plantas Medicinais; Etonbotânica; Amazônia

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, U.P. Introdução à Etnobotânica. Recife: Bagaço, 2002. 87 p.

AMOROSO, M.C.; GÉLY, A. Uso de plantas medicinais por cablocos do baixo Amazonas, Barcarena, PA, Brasil. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi, Botânica, v.4, p.47-131, 1988.

ELISABETSKY, E. Etnofarmacologia como ferramenta na busca de substâncias ativas. In: SIMÕES, C.M.O.; SCHENKEL, E.P.; GOSMAN, G.; MELLO, J.C.P.; MENTZ, L.A.; PETROVICK, P.R. Farmacognosia: da planta ao medicamento. 3a ed. Porto Alegre: UFSC, p.91-103, 2001.

GARLET, T.M.B.; IRGANG, B.E. Plantas medicinais utilizadas na medicina popular por mulheres trabalhadoras rurais de Cruz Alta, Rio Grande do Sul, Brasil. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, Botucatu, v.4, n.1, p.9-18, 2001.

GUERRA, M.P.; NODARI, R.O. Biodiversidade: aspectos biológicos, geográficos, legais e éticos. In: SIMÕES, C.M.O.; SCHENKEL, E.P.; GOSMAN, G.; MELLO, J. C. P.; MENTZ, L.A.; PETROVICK, P. R. (org.) Farmacognosia: da planta ao medicamento. 3a ed. Porto Alegre: UFSC, p.13-26, 2001.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATISTICA. Cidades @. Disponível em: . Acesso em: 17/04/2005.

KUBO, R.R. Levantamento das plantas de uso medicinal em Coronel Bicaco, RS. Porto Alegre, 163p. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 1997.

MAGALHÃES, R.G. Plantas medicinais na Região do Alto Uruguai. Conhecimentos de José Martins Fiúza, Sarampião. Porto Alegre, 172p. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 1997.

MARODIN, S.M.; BAPTISTA, L.R.M. O uso de plantas com fins medicinais no município de Dom Pedro de Alcântara, Rio Grande do Sul, Brasil. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, Botucatu, v. 4, n. 1, p.57-68, 2001.

MIGUEL, M.D.; MIGUEL, O.G. Desenvolvimento de Fitoterápicos. São Paulo: Robe Editorial, p.115, 1999.

MING, L.C.; AMARAL JÚNIOR, A. Aspectos etnobotânicos de plantas medicinais na Reserva Extrativista “Chico Mendes”. Disponível em: . Acesso em 25/08/2005.

PILLON, J.J. Amazônia: o último paraíso terrestre. Rondônia: Pallotti, 2002. 436p.

RADOMSKI, M.I.; WISNIEWSKI, C. Teores de elementos químicos hidrossolúveis em folhas de espinheira -santa (Maytenus ilicifolia) (Schrad.) Planch. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, Botucatu, v.6, n.3, p.65-68, 2004.

REIS, M.S.; MARIOT, A. Diversidade natural e aspectos agronômicos de plantas medicinais. In: SIMÕES, C.M.O.; SCHENKEL, E.P.; GOSMAN, G.; MELLO, J.C.P.; MENTZ, L.A.; PETROVICK, P.R. Farmacognosia: da planta ao medicamento. 3a ed. Porto Alegre: UFSC, p.41-62, 2001.

RIBEIRO, J.E.L.S.; HOPKINS, M.J.G.; VINCENTINI, A.; SOTHERS, C.A.; COSTA, M.A.S.; BRITO, J.M.; SOUZA, M.A.D.; MARTINS, L.H.P.; LOHMANN, L.G.; ASSUNÇÃO, P.A.C.L.; PEREIRA, E.C.; SILVA, C.F.; MESQUITA, M.R.; PROCÓPIO, L.C. Flora da Reserva Ducke: guia de identificação das plantas vasculares de uma floresta de terra-firme na Amazônia Central. Manaus: INPA, 1999. 816p.

RODRIGUES, V.E.G. Levantamento florístico e etnobotânico de plantas medicinais dos cerrados na região do Alto Rio Grande – Minas Gerais. Lavras, 229p. Dissertação (Mestrado) - Departamento de Engenharia Florestal, Universidade Federal de Lavras, 1998.

SILVEIRA, A.S.P. Plantas Medicinais de Rondônia. Porto Velho: SICCT/DECIT, 1989. 24p.

SIMÕES, C.M.O.; MENTZ, L.A.; SCHENKEL, E.P.; IRGANG, B.E.; STEHMANN, J.R. Plantas da medicina popular no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: UFRGS, 1998. 173p.

SOUZA, V.C.; LORENZI, H. Botânica sistemática: guia ilustrado para identificação das famílias de angiospermas da flora brasileira, baseado em APG II. Nova Odessa: Instituto Plantarum, 2005. 640p.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.