e-ISSN: 2446-4775 | ISSN: 1808-9569

Contribuindo para o conhecimento científico sobre Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação em biodiversidade e saúde.

Capa Revista Fitos

Seja um assinante Fitos

Assine a Revista Fitos e receba os lançamentos em seu email.

Assinar

  • Resumo

    Entre os saberes tradicionais, os conhecimentos indígenas são amplamente utilizados no Brasil como os modelos de sistemas agroflorestais (SAF's). A agrofloresta tem como berço os saberes indígenas sobre as florestas, imitando seu modo de crescimento e estabilidade, garantido assim a produção agrícola e a biodiversidade da fauna e da flora nos ecossistemas. Este projeto busca a interação dos conhecimentos tradicionais com enfoque científico sobre os saberes da cultura indígena, para agregar ao conhecimento agroecológico, dar destaque a educação ambiental, que integra o conhecimento ancestral dos povos nativos com tecnologias contemporâneas. O projeto começou a ser desenvolvido em etapas, no município de Ilhéus-BA, na Comunidade Tupinambá, da aldeia Tucum, em 27/12/2017. A primeira etapa foi iniciada com as aproximações e vivências agroecológicas. No dia 16/12/2018, foi aplicada a segunda etapa, com o uso das ferramentas do Diagnóstico Participativo Fortaleza, Oportunidade, Fraqueza e Ameaça (FOFA) e o Mapa de Recursos Naturais e Uso da Terra.  O trabalho saberes indígenas apresenta-se em um contexto social, econômico, cultural e ambiental, envolvendo a agroecologia como a nova ciência em construção. Contudo, é evidenciada a de uma relação harmônica, podendo ser exercida por ações antrópicas, comprovada pelo conhecimento tradicional.

    Artigo

    Texto completo

    PDF
    HTML

    Palavras-chave

    Comunidades tradicionais. Agroecologia. Biodiversidade. Tupinambá. Aldeia Tucum.
  • Referências

    IDESAM. Projeto SAF Indígena. Disponível em: [Link]. Acesso em: 01 maio 2017.

    Daniel O, Couto L, Garcia R, Passos CAM. 1999. Proposta para padronização da terminologia empregada em sistemas agroflorestais no brasil. Revista Árvore. 23(3): 367-370.

    Marcone MA, Lakatos EM. Fundamentos de Metodologia Científica. 6ª ed. São Paulo: Editora S.A. 2006.

    Verdejo ME. Diagnóstico Rural Participativo: guia prático DRP. Brasília: MDA/ Secretaria da Agricultura Familiar. 2006; 62 p: il.

    Gotsch E. O renascer da agricultura. Rio de Janeiro, maio de 1996.

    Sambuichi RHR, Silva LAM, Jesus MFC and Paixão JL. Lista de árvores nativas do sul da Bahia. In: Sambuichi RHR, Mielke MS, and Pereira CE. org. Nossas árvores: conservação, uso e manejo de árvores nativas no sul da Bahia [online]. Ilhéus, BA: Editus, 2009, p. 171-157. ISBN: 978-85-7455-515-7. [CrossRef]. [ePUB].

  • Histórico do artigo

    • Data de submissão:
    • Data de publicação:
  • Licença


    1. DIREITOS CEDIDOS - A cessão total não exclusiva, permanente e irrevogável dos direitos autorais patrimoniais não comerciais de utilização de que trata este documento inclui, exemplificativamente, os direitos de disponibilização e comunicação pública da OBRA, em qualquer meio ou veículo, inclusive em Repositórios Digitais, bem como os direitos de reprodução, exibição, execução, declamação, recitação, exposição, arquivamento, inclusão em banco de dados, preservação, difusão, distribuição, divulgação, empréstimo, tradução, dublagem, legendagem, inclusão em novas obras ou coletâneas, reutilização, edição, produção de material didático e cursos ou qualquer forma de utilização não comercial.

    2. AUTORIZAÇÃO A TERCEIROS - A cessão aqui especificada concede à FIOCRUZ - FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ o direito de autorizar qualquer pessoa – física ou jurídica, pública ou privada, nacional ou estrangeira – a acessar e utilizar amplamente a OBRA, sem exclusividade, para quaisquer finalidades não comerciais, nos termos deste instrumento.

    3. USOS NÃO COMERCIAIS - Usos não comerciais são aqueles em que a OBRA é disponibilizada gratuitamente, sem cobrança ao usuário e sem intuito de lucro direto por parte daquele que a disponibiliza e utiliza.

    4. NÃO EXCLUSIVIDADE - A não exclusividade dos direitos cedidos significa que tanto o AUTOR como a FIOCRUZ - FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ ou seus autorizados poderão exercê-los individualmente de forma independente de autorização ou comunicação, prévia ou futura.

    5. DIREITOS RESERVADOS - São reservados exclusivamente ao(s) AUTOR(es) os direitos morais sobre as obras de sua autoria e/ou titularidade, sendo os terceiros usuários responsáveis pela atribuição de autoria e manutenção da integridade da OBRA em qualquer utilização. Ficam reservados exclusivamente ao(s) AUTOR(es) e/ou TITULAR(es) os usos comerciais da OBRA incluída no âmbito deste instrumento.

    6. AUTORIA E TITULARIDADE - O AUTOR declara ainda que a obra é criação original própria e inédita, responsabilizando-se integralmente pelo conteúdo e outros elementos que fazem parte da OBRA, inclusive os direitos de voz e imagem vinculados à OBRA, obrigando-se a indenizar terceiros por danos, bem como indenizar e ressarcir a FIOCRUZ - FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ de eventuais despesas que vierem a suportar, em razão de qualquer ofensa a direitos autorais ou direitos de voz ou imagem, principalmente no que diz respeito a plágio e violações de direitos.

    7. GRATUIDADE - A cessão e autorização dos direitos indicados e estabelecidos neste Instrumento será gratuita, não sendo devida qualquer remuneração, a qualquer título, ao autor e/ou titular, a qualquer tempo.

Feedback