Instrução aos Autores

Revista Fitos
ISSN 1808-9569
e-ISSN: 2446-4775

Apresentação do manuscrito para submissão

Os manuscritos deverão ser redigidos na ortografia oficial e digitados em papel tamanho A4, espaço duplo, fonte tipo Arial, tamanho 12, com texto justificado, margem de 2 cm em cada um dos quatro lados, incluindo figuras, tabelas e quadros.
Todos os trabalhos envolvendo estudos em humanos ou animais deverão estar acompanhados dos Pareceres do Comitê de Ética de Pesquisa em Seres Humanos ou em Animais das instituições de vínculo dos autores, com autorização para tais estudos.

1. A 1ª Página do manuscrito deve conter os seguintes itens:

  • Titulo em português
  • Titulo em Inglês
  • Nome abreviado dos autores
  • Vínculo Institucional
  • Endereço completo do autor principal
  • E-mail do autor principal para correspondência
  • Resumo
  • Palavras-chave
  • Abstract
  • Key Word

1.1. Título: estar de acordo com o conteúdo do trabalho, levando em conta o escopo da Revista. Deve ser escrito com a primeira letra da primeira palavra em maiúscula, fonte tipo Arial, tamanho 14, em negrito, espaçamento 1,5. A versão do título na língua inglesa deverá conter as mesmas características da apresentação em português, porém na fonte tamanho 12.

1.2. Autores: o primeiro nome de cada autor deve vir abaixo do título, à esquerda. Antes do nome de cada autor deverá constar um número arábico. O nome e o último sobrenome devem ser por extenso. Os demais sobrenomes devem conter apenas a primeira letra inicial (ex. José Carlos F. P. Oliveira.). No caso de vários autores, seus nomes deverão ser separados por ponto e vírgula.

1.3. Filiação: antes do nome da instituição deverá constar o número arábico, sobrescrito, correspondente a indicação do local de trabalho do autor, com endereço completo (inclusive CEP) e deverá aparecer logo abaixo dos nomes dos autores. Deve-se assinalar o nome do autor principal com um asterisco sobrescrito, para o qual toda correspondência deverá ser enviada.

1.4. Resumo: (máximo de 200 palavras) espaço 1,5 abaixo da filiação.  Apresentação concisa dos pontos relevantes do trabalho em um único parágrafo, expondo metodologia, resultados e conclusões.

1.5. Palavras-chave: Apresentadas logo abaixo do resumo as palavras-chave retratam o conteúdo do artigo e servem de referências para a recuperação da informação em base de dados e viabiliza a criação de um vocabulário controlado específico. As palavras deverão ser escritas com a primeira letra em maiúscula e separadas por ponto. O limite máximo é de 6 (seis) palavras.

1.6. Abstract: Apresentar o resumo em inglês, no mesmo formato do redigido em português, Evitando traduções literais. Quando não houver domínio do idioma, consultar pessoas qualificadas.

1.7. Keyword: Apresentação das palavras-chave na língua inglesa nas mesmas modalidades das apresentadas em português.

Plantas Medicinais da RENISUS Com Potencial Anti-inflamatório: Revisão Sistemática Em Três Bases de Dados Científicas.

Medicinal Plants RENISUS with Potential Anti-inflammatory: Systematic Review in Three Scientific Databases.

1Diorge J. Marmitt*; ¹Claudete Rempel; ¹Márcia I. Goettert; ¹Amanda C. Silva.
¹Universidade Integrada do Vale do Taquari de Ensino Superior - UNIVATES, Lajeado-RS
*Correspondência: diorgemarmitt@yahoo.com.br

Resumo
A inflamação é uma resposta aguda à lesão do tecido responsável por produzir sintomas característicos que levam a alterações na homeostase do tecido e no fluxo sanguíneo, sendo um mecanismo de defesa do sistema imune. No entanto, a inflamação crônica é a causa de inúmeras doenças como câncer, arteriosclerose, diabetes e doenças neurodegenerativas. Grande parte dos fármacos anti-inflamatórios exercem inúmeros efeitos colaterais que podem restringir seu uso. Uma alternativa a tais medicamentos são as plantas medicinais, que oferecem uma importante perspectiva na identificação de compostos bioativos. Esta revisão sistemática objetivou quantificar os estudos clínicos que referem potencial terapêutico sobre doenças inflamatórias a partir do estudo de plantas da RENISUS, publicados entre 2010 e fevereiro de 2013 em três bases de dados científicas (SciELO, Science Direct e Springer). Dos 21.357 artigos encontrados nas bases de dados, a análise dos artigos foi realizada inicialmente a partir da leitura do título do periódico, os artigos elegidos foram posteriormente avaliados quanto ao Abstract. Por fim, com os artigos escolhidos nesta etapa, foi analisado o texto completo. Tal análise resultou na seleção de 44 estudos de interesse, que tratavam de 20 plantas diferentes da RENISUS.

Palavras-chave: Fitoterápicos. Inflamação. Uso Terapêutico.

Abstract
The inflammation is a response to acute tissue injury responsible for producing characteristic symptoms that lead to changes in tissue homeostasis and blood flow, as a defense mechanism of the immune system. However, chronic inflammation is a cause of many diseases like cancer, arteriosclerosis, diabetes and neurodegenerative diseases. Most anti-inflammatory drugs exert significant side effects that may limit their use. An alternative to such drugs are the medicinal plants, which provide an important approach for the identification of bioactive compounds. This systematic review aimed to quantify the clinical studies that relate therapeutic potential for inflammatory diseases from the study of plants RENISUS, published between 2010 and February 2013 in three scientific databases (SciELO, Science Direct and Springer). Of the 21 357 articles found in databases, analysis of articles was originally made from the title of journal reading, the chosen articles were subsequently assessed for Abstract. Finally, Articles chosen at this stage, the full text was analyzed. This analysis resulted in the selection of 44 studies of interest, which dealt with 20 different plants RENISUS.

Key words: Herbal Medicines. Inflammation. Therapeutic use.

Formatação do Trabalho

2. A 2ª página do manuscrito deve conter os seguintes itens:

2.1. Introdução: estabelecer com clareza o objetivo do trabalho e sua relação com outros trabalhos na mesma área. Deve estar claro o referencial teórico adotado no texto. Extensas revisões da literatura deverão ser substituídas por referências às publicações mais recentes, onde estas revisões tenham sido apresentadas.

2.2. Materiais e Métodos: a descrição dos materiais e dos métodos usados deverá ser breve, porém suficientemente clara para possibilitar a perfeita compreensão e a reprodução do trabalho. Processos e técnicas já publicados, a menos que tenham sido extensamente modificados, deverão ser referenciados por citação.

2.3. Resultados: apresentados com o mínimo possível de discussão ou interpretação pessoal e, sempre que necessário, acompanhados de tabelas e figuras adequadas. Os dados, quando pertinentes, deverão ser submetidos a uma análise estatística.

2.4. Discussão: restrita ao significado dos dados obtidos e resultados alcançados, evitando-se inferências não baseadas nos mesmos.

Obs.: Eventualmente, Resultados e Discussão poderão ser apresentados num único item.

2.5. Figuras/Tabelas: as figuras, tabelas, ilustrações (gráficos, fotográficas, desenhos, mapas) devem ser em letras maiúsculas seguidas por algarismo arábico, em Arial 12.  Quando inseridas na figura, tabela, etc., devem estar com letra do tipo Arial 10 e espaço simples. Seguir o mesmo padrão quando citada no texto, porém entre parênteses, conforme exemplo (TABELA 1, FIGURA 1...).

As tabelas não podem ser fechadas por linhas laterais.

Obs.: As figuras, tabelas, quadros, estruturas químicas, fotografias, gráficos, desenhos etc. deverão ser inseridas pelos próprios autores nos locais adequados. As respectivas legendas deverão ser claras, concisas, sem abreviaturas e localizadas na parte superior das mesmas, bem como, as fontes na parte inferior.

2.6. Notas de rodapé: não serão aceitas.

2.7. Agradecimentos: Possíveis menções em agradecimentos incluem instituições que, de alguma forma, possibilitaram a realização da pesquisa e/ou pessoas que colaboraram com o estudo, mas que não preencheram os critérios para serem coautores. Este item é opcional e deverá vir antes das Referências.

3. Referências: Deverão seguir as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT nº 6023 e 10520, de acordo com os exemplos a seguir.

3.1. Referência dentro do texto:

Nas citações, as chamadas pelo sobrenome do autor, pela instituição responsável ou título incluído na sentença devem ser em letras maiúsculas e minúsculas e, quando estiverem entre parênteses, devem ser em letras maiúsculas.

Na transcrição textual de parte da obra, de até três linhas, deve estar contido entre “” (aspas duplas). As ‘’ (aspas simples) são utilizadas para indicar citação no interior da citação.

Segundo Sá (1995, p. 27): “[...] por meio da mesma ‘arte de conversação’ que abrange tão extensa e significativa parte da nossa existência cotidiana [...]”

Para dois autores, a ordem alfabética dos nomes deverá ser obedecida e seguindo o seguinte padrão:

Castro e Silva (1998) analisaram a toxicologia do extrato de Psidium guajava.

Para três autores, a regra será semelhante à anterior, separando os dois primeiros autores por meio de vírgula.

Amoroso, Costa e Soares (1997) descreveram a propriedade analgésica de toxicologia da Lippia alba.

Para mais de três autores, mencionar apenas o nome do primeiro, seguido de e colaboradores e do ano entre parênteses.

Silva e colaboradores (1999) confirmaram o efeito broncodilatador de Mikania glomerata.

3.1.2 No final da citação. Nome do(s) autor (es) em letra maiúscula seguido do ano, a página é opcional.

A produção de lítio começa em Searles Lake, Califórnia, em 1928 (MUMFORD, 1949, p. 513).

Para dois autores, os nomes deverão ser separados pela letra (e) e obedecida a ordem alfabética.

(CASTRO e SILVA, 1998)

Para três autores, os nomes deverão ser separados por vírgula e pela letra (e) e vírgula antes do ano.

(ALBUQUERQUE, LIMA e SOUSA, 2000)

Para mais de três autores deverá ser informado apenas o nome do primeiro autor, seguido de et al. e do ano.

(SILVA et al.,1999) ou (SILVA et al., 1995a,b).

A expressão apud – citado por, conforme, segundo – pode, também, ser usada no texto.

Segundo Silva (1983 apud ABREU, 1999, p. 3) diz ser [...].

Obs: As citações diretas, no texto, com mais de três linhas, devem ser destacadas com recuo de 4 cm da margem esquerda, com letra menor que a do texto utilizado e sem as aspas.

3.2. Referências no final do artigo:

Os elementos essenciais e complementares devem ser apresentados em sequência padronizada. Os elementos essenciais devem ser ordenados por: autor (es), título, edição, editora, local, ano e páginas consultadas, que deverão ser ordenadas alfabeticamente pelo sobrenome do primeiro autor e os demais autores separados por ponto e vírgula, todos os sobrenomes em caixa alta.

As referências são alinhadas à margem esquerda do texto e de forma a se identificar individualmente cada documento, em espaço simples, e separadas entre si com espaço duplo. O recurso tipográfico (itálico) para destacar o título para livro e, em caso de artigo destacar em itálico o nome da revista/periódico.

Cada referência bibliográfica deve vir acompanhada dos hyperlinks das publicações ou citações de páginas da web. O grupo de link aceito é CrossRef, PubMed e Links.

Inserindo hyperlink [CrossRef]:

Caso a referência citada possua o número DOI (Digital Object Identifier ou Identificador de Objeto Digital) o seu endereço terá o formato http://dx.doi.org/númeroDOI.

SOUZA, M. V. N.; VASCONCELOS, T.A. Fármacos no combate à tuberculose: passado, presente e futuro. Química Nova. UFF, 2005. p.28-678.

No exemplo acima, a referência possui número DOI igual a 10.1590/S0100-40422005000400022.

Passo a passo: Neste caso, seleciona a palavra CrossRef pressione Ctrl+K (MSWord para Windows) e cole o endereço http://dx.doi.org/10.1590/S0100-40422005000400022 (Caso utilize MSWord para Mac OS pressione Command+K e cole o endereço). Por fim, a referência terá o seguinte formato:

SOUZA, M. V. N.; VASCONCELOS, T. A. Fármacos no combate à tuberculose: passado, presente e futuro. Química Nova. UFF, 2005. p.28-678. [CrossRef]

Obs: O hyperlink deve ser criado apenas sobre a palavra CrossRef, não incluindo os colchetes.

Inserindo hyperlink [PubMed]:

Caso a referência possua, além do DOI, o número PubMed, este deve ter o formato: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/númeroPubMed. O link PubMed pode ser obtido através do sítio http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/.

ORLIKOVA, B.; MENEZES, J. C. J. M. D. S.; JI, S.; KAMAT, S. P.; CAVALEIRO, J. A. S.; DIEDERICH, M. Methylenedioxy flavonoids: assessment of cytotoxic and anti-cancer potential in human leukemia cells. European Journal of Medicinal Chemistry. 2014. p.84-173.

No exemplo acima, a referência possui número PubMed igual a 25016375.

Passo a passo: Neste caso, selecione a palavra PubMed, pressione Ctrl+K (MSWord para Windows) ou Command+K (MSWord para Mac OS) e cole o endereço:http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25016375. Adicionalmente, esta referência também possui DOI, que é igual a 10.1016/j.ejmech.2014.07.003. A referência terá o seguinte formato:

ORLIKOVA, B.; MENEZES, J. C. J. M. D. S.; JI, S.; KAMAT, S. P.; CAVALEIRO, J. A. S. DIEDERICH, M. Methylenedioxy flavonoids: assessment of cytotoxic and anti-cancer potential in human leukemia cells. European Journal of Medicinal Chemistry. 2014. p. 84, 173. [CrossRef] [PubMed]

Atenção: Se o artigo citado for indexado e tiver [CrossRef] e [PubMed], ambos os links devem ser apresentados ao lado da referência nesta mesma ordem.

Obs: O hyperlink deve ser criado apenas sobre a palavra PubMed, não incluindo os colchetes.

Inserindo hyperlinks [Link]:

As referências que não possuírem [CrossRef] nem [PubMed] e estiverem disponíveis online, coloque o endereço do artigo no hyperlink da palavra [Link].

A referência a seguir não possui registros [CrossRef] nem [PubMed], terá o seguinte formato:

NELSON, D. R.;MING, R.;ALAM, M.;SCHULER, M. A. Comparison of cytochrome P450 genes from six plant genomes. Tropical Plant Biology, 2008. p. 1-216. [Link]

Obs: O hyperlink deve ser criado apenas sobre a palavra Link, não incluindo os colchetes.

Antes de enviar o manuscrito (e também durante processo de editoração), não se esqueça de testar todos os links das referências; passando o mouse por cima e seguindo as instruções para ver se estão funcionando corretamente.

3.3. Referências Bibliográficas (exemplos):

3.3.1. Livro: autor (separados por ponto e vírgula, quando mais de um), título em itálico, edição, editora, local, quantidade de páginas, ano e ISBN.

COTTON, F. A.; WILKINSON, G. Advanced Inorganic Chemistry, 5ª ed. Wiley: New York, 1988. ISBN 978-0-471-19957-1.

SIMÕES, C.M.O.; SCHENKEL, E.P.; GOSMAN, G.; PALAZZO, M. J.; MENTZ, L.A.; PETROVICK, P.R. Farmacognosia: da Planta  ao Medicamento. (org.). Editora UFRGS/Editora da UFSC. Porto Alegre/Florianópolis. 2003. ISBN 9788570256829.

3.3.2. Capítulo de livro: autor (es) (separados por ponto e vírgula, quando mais de um), título em itálico, edição, editora, local, páginas consultadas, ano e ISBN.

FURLAN, M.; BERGAMO, D.C.B.; KATO. M.J. Biossíntese de Produtos Naturais: Atualidades e Perspectivas no Desenvolvimento de Novos Fármacos. In: YUNES, R.A., CECHINEL FILHO, V. (org.). Química de Produtos Naturais: Novos Fármacos e a Moderna Farmacognosia. Editora Univali. Itajaí. 2009. p. 83-102.

3.3.3. Tese ou Dissertação: autor, título, cidade, estado, nome da instituição e data.

LIMA, N. Influência da ação dos raios solares na germinação do nabo selvagem. Campinas, SP: Tese apresentada na Faculdade de Ciências Agrárias, UNICAMP, 1991.

3.3.4. Artigo de periódico: autor (es), título do artigo, local de publicação, edição, editora, nome do periódico, volume, número, páginas, ano de publicação e ISSN do periódico.

CARLINI, E.A.; DUARTE-ALMEIDA, J.M. RODRIGUES, E.; TABACH, R. Antiulcer effect of the pepper trees Schinus terebinthifolius  Raddi (aroeira-da-praia) and  Myracrodruon urundeuva Allemao, Anacardiaceae (aroeira-do-sertão). Revista Brasileira de Farmacognosia, Curitiba, Elsevier, v.20, n. 5, p.140-146, 2010. ISSN: 1981-528X

3.3.5. Citação indireta:

CARBALLO, S.A. Plantas medicinales del Escambray cubano. Apuntes científicos. TRAMIL VII.  Islã, 1995.

SAN ANDRÉS, Colômbia. apud  GERMOSÉN-ROBINEAU,  L.  G. Farmacopeia  Vegetal  Caribeña, (ed) . Editions Emile Désormeaux, Fort-de-France, Martinica, 1996. p.127-130.

WAX E.T. Antimicrobial activity of Brazilian medicinal plants. J Braz Biol Res 41: 77-82, apud Nat Prod Abs 23 .1977. p.588-593, 1978.

3.3.6. Eventos científicos (Congressos, Seminários, Simpósios e outros): autor, título, nome do evento, numeração (se houver), ano e local (cidade) de realização.

OLIVEIRA, J.P.C.; FERREIRA, E.L.F.; CHAVES, M.H. Fenóis totais e atividade antioxidante e citotóxica de extratos das folhas de Lecynites pisonis. 32ª Reunião anual da Sociedade Brasileira de Química, PN – 003. 2009. Fortaleza.

3.3.6. Autor entidade/instituição/empresa:

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10520: informação e documentação: citações em documentos: apresentação. Rio de Janeiro, 2002.

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Catálogo de teses da Universidade de São Paulo, 1992. São Paulo, 1993. 467 p.

CONGRESSO BRASILEIRO DE BIBLIOTECONOMIA E DOCUMENTAÇÃO, 10. 1979, Curitiba. Anais... Curitiba: Associação Bibliotecária do Paraná, 1979. 3 v.

3.3.7. Patentes: entidade responsável e/ou autor, título, número da patente e datas (do período de registro).

ICHIKAWA, M.; OGURA, M.; LIJIMA, T. Antiallergic  flavone glycoside from kalancho e pinnatum. Jpn.  Kokai Tokkyo Koho JP 61,118,396, apud Chemical Abstracts 105:  178423q. 1986.

EMBRAPA. Unidade de Apoio, Pesquisa e Desenvolvimento de Instrumentação Agropecuária (São Carlos, SP). Paulo Estevão Cruvinel. Medidor digital multissensor de temperatura para solos. BR n. PI 8903105-9, 26 jun. 1989, 30 maio 1995.

3.3.8. Documento jurídico

Legislação, Resoluções e demais documentos. Inclui legislação, jurisprudência (decisões judiciais) e doutrina (interpretação dos textos legais).

Compreende a Constituição, as emendas constitucionais e os textos legais infraconstitucionais (lei complementar e ordinária, medida provisória, decreto em todas as suas formas, resolução do Senado Federal) e normas emanadas das entidades públicas e privadas (ato normativo, portaria, resolução, ordem de serviço, instrução normativa, comunicado, aviso, circular, decisão administrativa, entre outros).

Os elementos essenciais são: jurisdição (ou cabeçalho da entidade, no caso de se tratar de normas), título, numeração, data e dados da publicação. No caso de Constituições e suas emendas, entre o nome da jurisdição e o título, acrescenta-se a palavra Constituição, seguida do ano de promulgação, entre parênteses. Conforme exemplos:

SÃO PAULO (Estado). Decreto no 42.822, de 20 de janeiro de 1998. Lex: coletânea de legislação e jurisprudência, São Paulo, v. 62, n. 3, p. 217-220, 1998.

BRASIL. Medida provisória no 1.569-9, de 11 de dezembro de 1997. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 14 dez. 1997. Seção 1, p. 29514.

BRASIL. Decreto-lei no 5.452, de 1 de maio de 1943. Lex: coletânea de legislação: edição federal, São Paulo, v. 7, 1943. Suplemento.

BRASIL. Código civil. 46. ed. São Paulo: Saraiva, 1995.

BRASIL. Congresso. Senado. Resolução nº 17, de 1991. Coleção de Leis da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, v. 183, p. 1156-1157, maio/jun. 1991.

BRASIL. Constituição (1988). Emenda constitucional nº 9, de 9 de novembro de 1995. Lex: legislação federal e marginalia, São Paulo, v. 59, p. 1966, out./dez. 1995.

3.3.9. Base de Dados

BIREME. Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da saúde. Lilacs - Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde.  [Link] Acesso em: 27 ago. 2009.

3.3.10. Homepage/Website

WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). WHO Guidelines for Pharmacological Management of Pandemic (H1N1) 2009. Influenza and other Influenza Viruses. 20 August  2009. 91 p. [Link] Acesso em: 28 ago. 2009.