[AHEAD OF PRINT] Etnobotânica, etnofarmacologia e farmacologia das espécies Acanthaceae, Aizoaceae, Alismataceae e Amaranthaceae

O presente trabalho realizou um estudo sobre as espécies medicinais das famílias Acanthaceae, Aizoaceae, Alismataceae e Amaranthaceae. O artigo apresenta também usos populares das espécies no tratamento de asma, hemorragias, queixas do estômago, inflamações, diabetes, colesteral e uma série de outros usos.

Escrito por Eugênio Telles
Asystasia gangetica. Font: commons.wikimedia.org Asystasia gangetica. Font: commons.wikimedia.org

O presente trabalho objetivou realizar através de pesquisa bibliográfica um levantamento de informações etnobotânicas, etnofarmacológicas e farmacológicas das espécies medicinais das famílias Acanthaceae, Aizoaceae, Alismataceae e Amaranthaceae cultivadas no Horto Medicinal do Campus 2 da Universidade Paranaense - UNIPAR, localizada em Umuarama - PR. Para tanto, utilizou-se as seguintes bases de dados: Medline, PubMed, SciElo e Google Acadêmico, onde foram pesquisadas as palavras-chave: etnobotânica, etnofarmacologia, plantas medicinais, uso popular, ação farmacológica, composição química, efeitos adversos, além dos nomes científicos das espécies.  As quatro famílias abordadas neste estudo, somaram 14 espécies, sendo a maioria delas (11 espécies) de uso medicinal com informações etnobotânicas e etnofarmacológicas registradas na literatura consultada. No entanto, somente 5 espécies apresentaram estudos farmacológicos comprovando os usos populares. E, apenas 3 espécies são de uso exclusivamente ornamental.

LEIA O RESUMO E O ARTIGO COMPLETO.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.