O mapeamento de saberes populares sobre plantas medicinais em um grupo de convivência em Rondonópolis-MT, por meio da proposta de educação em saúde

Adicionado por Eugênio Telles

Tratamentos alternativos com plantas medicinais são uma prática comum. O uso de plantas medicinais como recurso terapêutico baseado na sabedoria popular é uma forma de proteger o conhecimento das comunidades. No entanto, o uso das plantas medicinais e os procedimentos terapêuticos podem oferecer alguns riscos e resultados menos eficazes se realizados de modo incorreto. Tais ações devem ser desempenhadas com responsabilidade e é importante que os profissionais de saúde discutam sobre essas questões. Este trabalho visou o resgate e a valorização de conhecimentos populares a partir de um grupo de convivência e teve como objetivo o repasse de informações para o uso racional e eficiente das plantas medicinais e fitoterápicos. Para isso, os profissionais de saúde buscaram articular, por meio de educação em saúde, a necessidade de se desenvolver ações efetivas de comunicação e Promoção da Saúde, como encontrar estratégias educativas, informativas e comunicativas. A metodologia da pesquisa foi qualitativa, assim como a análise dos dados obtidos, tendo como técnica e ferramenta reuniões, formulários, diário de campo, observações participativas e planejamento de elaboração das intervenções.

Publicado em: FLOVET - Boletim do Grupo de Pesquisa da Flora, Vegetação e Etnobotânica
Autores: Márcio Alessandro Neman do Nascimento, Jefferson Adriã Reis, Lucas Silva Peixoto, Samanta Silva Souza, Cíntia Rosa Sampaio, Maria de Fátima de Oliveira
Artigo(s) da Fitos citado(s):
Palavras-chave