Práticas integrativas e complementares de saúde em Uberlândia, Minas Gerais: o processo de implantação na perspectiva dos trabalhadores

Adicionado por Eugênio Telles

A Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC), desde 2006, incorpora as Medicinas Tradicionais e Complementares no Sistema Único de Saúde (SUS) e fomenta a inserção dessas terapias pelos municípios. O presente artigo objetiva compreender a implantação das práticas integrativas no município de Uberlândia, Minas Gerais na perspectiva dos trabalhadores que atuaram no processo de criação do Centro de Referência em Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (CRPICS). Trata-se de estudo qualitativo desenvolvido com entrevistas semiestruturadas com trabalhadores e gestores. As entrevistas foram analisadas de modo temático. O estudo evidenciou comprometimento dos trabalhadores, envolvimento do conselho de saúde e participação da sociedade civil na institucionalização das Práticas Integrativas e Complementares de Saúde (PICS). Destacou-se a contribuição de financiamento federal no processo de implantação do CRPICS. Dentre os obstáculos enfrentados destacaram-se: resistências oriundas do modelo biomédico, dificuldades para institucionalização das PICS na política e na gestão municipal, reduzido número de trabalhadores para a atuação com PICS e implementação da fitoterapia. A ampliação das PICS na atenção primária e a formação de trabalhadores são fundamentais para a consolidação da PNPIC em âmbito municipal.

Publicado em: Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde
Autores: Cáritas Batista Martins Alves, Rosimár Alves Querino
Artigo(s) da Fitos citado(s):
Palavras-chave

Conteúdos relacionados (por palavra-chave)