e-ISSN: 2446-4775 | ISSN: 1808-9569

Contribuindo para o conhecimento científico sobre Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação em biodiversidade e saúde.

Capa Revista Fitos

Seja um assinante Fitos

Assine a Revista Fitos e receba os lançamentos em seu email.

Assinar

  • Resumo

    A Caatinga é um bioma exclusivamente brasileiro que infelizmente encontra-se como um dos mais ameaçados do mundo, no entanto grande parte da população do semiárido depende dela para sobreviver. O presente artigo teve por objetivo analisar o uso das plantas medicinais nativas em quarenta comunidades rurais inseridas na Unidade de Conservação Tatu-Bola, no município de Lagoa Grande (PE). Foi realizado um levantamento através de entrevistas com questionários semiestruturados aplicados a 111 informantes durante os meses de março, maio, junho e agosto de 2016, no qual registraram-se 59 espécies nativas pertencentes a 26 famílias botânicas, sendo 14 delas endêmicas da Caatinga destacando-se as famílias Fabaceae e Euphorbiaceae. O hábito predominante das espécies foi o arbóreo, enquanto as partes mais utilizadas foram as cascas e entrecascas, sendo o chá a principal forma de uso. Quanto ao aspecto quantitativo foi determinado o valor de uso, o fator de consenso dos informantes e a importância relativa das espécies mencionadas.  Tal levantamento revelou o amplo conhecimento sobre as plantas medicinais pelos moradores das comunidades de Lagoa Grande e importância de registrá-lo, uma vez que ela pode ter implicações nos estudos conservacionistas e de bioprospecção e no desenvolvimento de medicamentos naturais.

    Artigo

    Texto completo

    PDF
    HTML

    Palavras-chave

    Caatinga. Nordeste Brasileiro
    Conhecimento Tradicional
    Plantas Nativas
  • Referências

    SARAIVA, M.E.; ULISSES, A.V.R.A.; RIBEIRO, D.A.; OLIVEIRA, L.G.S.; MACÊDO, D.G.; SOUSA, F.F.S.; MENEZES, I.R.A; SAMPAIO, E.V.S.B.; SOUZA, M.M.A. Plant species as a therapeutic resource in areas of the savanna in the state of Pernambuco, Northeast Brazil. Journal of Ethnopharmacology. 2015; 171: 141–153. [CrossRef] [PubMed]

    SEMAS. Refúgio de Vida Silvestre Tatu-bola: Petrolina, Lagoa Grande e Santa Maria da Boa Vista Pernambuco. Proposta para discussão. 2014. Disponível em: [Link]. Acesso em: 28 set. 2017.

    SILVA, C.G.; MARINHO, M.G.V.; LUCENA, M.F.A.; COSTA, J.G.M. Levantamento etnobotânico de plantas medicinais em área de Caatinga na comunidade do Sítio Nazaré, município de Milagres, Ceará, Brasil. Revista Brasileira de Plantas Medicinais. 2015; 17 (1): 133–142 [CrossRef]

    COSTA, J.C.; MARINHO, M.G.V. Etnobotânica de plantas medicinais em duas comunidades do município de Picuí, Paraíba, Brasil. Revista Brasileira de Plantas Medicinais. 2016; 18 (1): 125–134 [CrossRef]

    Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Censo Demográfico. Lagoa Grande, 2016. Disponível em: [Link]. Acesso em: 24 ago. 2017

    CLIMATE DATA. Clima: Lagoa Grande. Disponível em: [Link]. Acesso em: 24 ago. 2017

    LACERDA, A.C.; ALBUQUERQUE, J.V.; GALVÍNCIO, J.D. Área legalmente protegida sob os conflitos de recategorização: caso da Unidade de Conservação Tatu-Bola. In: CONGRESSO NORDESTINO DE BIÓLOGOS, 7., 2017, João Pessoa. Anais… João Pessoa: REBIBIO, 2017. p. 24–35 [CrossRef]

    FIDALGO, O.; BONONI, V.L.R. Técnicas de coleta, preservação e herborização de Material Botânico. 1984. Instituto de Botânica, São Paulo. (Manual n. 4). 62 p.

    APG IV. 2016. An update of the Angiosperm Phylogeny Group classification for the orders and families of flowering plants: APG IV. Botanical Journal of the Linnean Society. 181: 1-20 [Link]

    Missouri Botanical Garden (MOBOT). Disponível em: [Link] Acesso em: 26 set. 2017

    Flora do Brasil 2020 em construção. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponível em: [Link] Acesso em: 26 set. 2017

    World Health Organization (WHO). 2016. ICD-10: International Classification of Diseases and Related Health Problems. 10th Revision. Disponível em: [Link] Acesso em: 24 ago. 2017

    TROTER, R.; LOGAN, M. Informant consensus: a new approach for identifying potentially efffective medicinal plants. p. 91-112. In: Etkin, N.L. (Ed). Indigenous medicine and diet: biobehavioural approaches. Redgrave Bedford Hills, New York. 1986 [CrossRef]

    ROSSATO, S.C.; LEITÃO FILHO, H.; BEGOSSI, A. Ethnobotany of Caiçaras of the Atlantic Forest Coast (Brazil). Economic Botany 53. 1999: 387-395 [CrossRef]

    BENNETT, B.C.; PRANCE, G.T. Introduced plants in the indigenous pharmacopoeia of Northern South America. Economic Botany 54. 2000: 90-102 [CrossRef]

    MEDEIROS, M.F.T.; FONSECA, V.S.; ANDREATA, R.H.P. Plantas medicinais e seus usos pelos sitiantes da Reserva Rio das Pedras, Mangaratiba, RJ, Brasil. Acta Botanica Brasilica. 2004. 18: 391 – 399 [CrossRef]

    GONZAGA, C.; FRANÇA, F.; MELO, E. Medicinal uses of plant species in background pasture areas in Northeast Brazil. Boletín Latinoamericano y del Caribe de Plantas Medicinales y Aromaticas. 2016. 15 (5): 323-336 [Link]

    ALBUQUERQUE, U.P.; ANDRADE, L.H.C. Uso de recursos vegetais da Caatinga: o caso do agreste do estado de Pernambuco (Nordeste do Brasil). Interciência. 2002. 27 (7): 336-346 [CrossRef]

    ALBUQUERQUE, U.P.; LUCENA, R.F.P. Can apparency affect the use of plants by local people in tropical forests? Interciência. 2005. 30: 506–511 [CrossRef]

    ALBUQUERQUE, U.P. Re-examining hypotheses concerning the use and knowledge of medicinal plants: a study in the Caatinga vegetation of NE Brazil. Journal of Ethnobiology and Ethnomedicine. 2006. 2-30 [CrossRef] [PubMed]

    ALENCAR, N.L.; ARAÚJO, T.S.; AMORIM, E.L.C.; ALBUQUERQUE, U.P. Can the apparency hypothesis explain the selection of medicinal plants in an area of caatinga vegetation? A chemical perspective. Acta Botanica Brasilica. 2009. 23: 908-09 [CrossRef]

    ALBUQUERQUE, U.P.; MEDEIROS, P.M.; ALMEIDA, A.L.S.; MONTEIRO, J.M.; LINS NETO, E.M.F.; MELO, J.G.; SANTOS, J.P. Medicinal plants of the Caatinga (semi-arid) vegetation of NE Brazil: a quantitative approach. Journal of Ethnopharmacology. 2007. 114: 325–354 [CrossRef] [PubMed]

    ALBUQUERQUE, U.P. Implications of ethnobotanical studies on bioprospecting strategies of new drugs in semi-arid regions. The Open Complementary Medicine Journal. 2010. 2: 21–23 [CrossRef]

    ALMEIDA, C.F.C.B.R.; AMORIM, E.L.C.; ALBUQUERQUE, U.P. Insights into the search for new drugs from traditional knowledge: an ethnobotanical and chemicalecological perspective. Pharmaceutical Biology. 2011. 49: 864–873 [CrossRef] [PubMed]

    ARAÚJO, J.L.; LEMOS, J.R. Estudo etnobotânico sobre plantas medicinais na comunidade de Curral Velho, Luís Correia, Piauí, Brasil. Revista Biotemas. 2015; 28 (2): 125–136 [CrossRef]

    FRIEDMAN, J.; YANIV, Z.; DAFNI, A.; PALEWITCH, D.A. A preliminary classification or the healing potential of medicinal plants based on a rational analysis of an ethnopharmacological field survey among Bedouins in the Negev desert, Israel. Journal of Ethnopharmacology. 1986; 16: 275-287 [CrossRef] [PubMed]

    BACCHI, E.M.; SERTIE, J.A.A.; VILLA, N.; KATZ, H. Antiulcer action and toxicity of Styrax camporum and Caesalpinia ferrea. Planta Medica. 1995. 61: 204 – 207 [CrossRef] [PubMed]

    MENEZES, I.A.C.; MOREIRA, I.J.A.; CARVALHO, A.A.; ANTONIOLLI, A.R.; SANTOS, M.R.V. Cardiovascular effects of the aqueous extract from Caesalpinia ferrea: Involvement of ATP-sensitive potassium channels. Vascular Pharmacology. 2007. 47: 41 – 47 [CrossRef] [PubMed]

    SILVA, T.S.; FREIRE, E.M.X. Abordagem etnobotânica sobre plantas medicinais citadas por populações do entorno de uma unidade de conservação da caatinga do Rio Grande do Norte, Brasil. Revista Brasileira de Plantas Medicinais. 2010. 12: 427-435 [CrossRef]

    PEREIRA JÚNIOR, L.R.; ANDRADE, A.P.; ARAÚJO, K.D.; BARBOSA, A.S.; BARBOSA, F.M. Espécies da caatinga como alternativa para o desenvolvimento de novos fitofármacos. Floresta e Ambiente. 2014. 21: 509-520 [CrossRef]

    SANTOS, M.O.; RIBEIRO, D.A.; MACÊDO, D.G.; MACÊDO, M.J.F.; MACEDO, J.G.F.; LACERDA, M.N.S.; MACÊDO, M.S.; SOUZA, M.M.A. Medicinal plants: versality and concordance of use in the Caatinga area, Northeastern Brazil. Annals of the Brazilian Academy of Sciences. 2018. 90 (3): 2767-2779 [CrossRef] [PubMed]

    LEAL, L.K.A.M.; FERREIRA, A.A.G.; BEZERRA, G.A.; MATOS, F.J.A.; VIANA, G.S.B. Antinociceptive, antiinflammatory and bronchodilator activities of Brazilian medicinal plants containing coumarin: a comparative study. Journal of Ethnopharmacology. 2000. 70: 151-159 [PubMed]

    BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Portaria n. 443, de 17 de dezembro de 2014. Reconhece as espécies da flora ameaçada de extinção. Diário Oficial da União, Brasília – DF. Disponível em: [Link] Acesso em: 28 set. 2017.

    CARTAXO, S.L.; SOUZA, M.M.A.; ALBUQUERQUE, U.P. Medicinal plants with bioprospecting potential used in semi-arid northeastern Brazil. Journal of Ethnopharmacology. 2010. 131: 326-342 [CrossRef] [PubMed]

    OLIVEIRA, F.C.S.; BARROS, R.F.M.; MOITA NETO, J.M. Plantas medicinais utilizadas em comunidades rurais de Oeiras, semiárido piauiense. Revista Brasileira de Plantas Medicinais. 2010. 12: 282-301 [CrossRef]

    CHAVES, E.M.F.; BARROS, R.F.M. Diversidade e uso de recursos medicinais do carrasco na APA da Serra da Ibiapaba, Piauí, Nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Plantas Medicinais. 2012.14: 476-486 [CrossRef]

  • Histórico do artigo

    • Data de submissão:
    • Data de publicação:
  • Licença


    Copyright (c) 2019 Revista Fitos
Feedback