Cryptomeria japonica (L. F.) D. (Cupressaceae)

Compartilhe:

Publicado em 18/12/2020

Edição Atual | v. 14 n. 4 (2020)

Neste número 4 estamos finalizando o volume 14 da Revista Fitos, atendendo assim a meta da pontualidade das publicações estabelecida para o ano de 2020. Apresentamos a seguir os resumos de 10 artigos publicados, sendo: 8 pesquisas, 1 revisão e 1 relato de experiência:

Atividade antileishmanial in vitro e análise fitoquímica de Casearia javitensis Kunth (Salicaceae). O objetivo deste estudo foi realizar análises fitoquímicas do extrato de casca de Casearia javitensis e avaliar a sua atividade antipromastigante contra Leishmania amazonensis. O ensaio de antipromastigotas de Leishmania amazonensis e o teste de citotoxicidade contra a linha celular de leucemia monocítica aguda (THP-1) foram realizados pelo ensaio colorimétrico MTT. O perfil fitoquímico em cromatografia em camada fina (TLC) detectou terpenos em todas as amostras. Conclui-se que a fração em diclorometano (FrDcm) de C. javitensis tem potencial como leishmanicida, e esta atividade pode estar relacionada com a presença de composto fenólico. 

Atividade do extrato de lichia (Litchi chinensis Sonn.) sobre os parâmetros bioquímicos e histológicos de ratos diabéticos. Neste estudo avaliou-se o efeito anti-hiperglicêmico do extrato hidroetanólico da casca e polpa dos frutos de Litchi chinensis (lichia) em ratos diabéticos. Foram avaliados a glicemia e os biomarcadores, como as triglicérides, colesterol, função renal e hepática. Tecidos como fígado, rins, coração e pâncreas foram retirados para análise histológica. Os ratos tratados tanto com a casca quanto com a polpa, obtiveram redução dos níveis de lipídeos, das taxas de triglicerídeos e colesterol. Litchi chinensis mostrou seu benefício nos efeitos hipoglicemiantes e hipolipemiantes, tendo potencial terapêutico na prevenção e no tratamento das complicações da diabetes mellitus.

Caracterização dos compostos fenólicos e análise da qualidade de amostras de chá de Miconia albicans.  Neste estudo foram avaliados os constituintes fenólicos e a qualidade de cinco amostras de chás de M. albicans (canela de velho), adquiridos em ambientes comerciais da cidade de Jaraguá do Sul-SC. A toxicidade foi avaliada com larvas de Artemia salina. Os resultados de controle de qualidade da matéria-prima vegetal demonstraram estar em conformidade com as especificações descritas na Farmacopeia Brasileira. As amostras são potencialmente citotóxicas, tendo uma DL50 menor que 1000 µg/mL. Sugere-se que sejam realizados estudos adicionais dos benefícios farmacológicos e efeitos toxicológicos da espécie visando maior segurança aos usuários.

Cryptomeria japonica (L. F.) D. Don como fonte de ácido chiquímico. Neste estudo, encontrou-se um conteúdo de 56,36 mg.kg-1 de SA na biomassa seca de C. japonica, enquanto que para a Illicium verum, a fonte tradicional, era de 96,57 mg.kg-1. O fosfato de oseltamivir (OSP), comercializado sob a marca Tamiflu®, é um potente inibidor da neuraminidase viral, uma enzima glicosídica hidrolase essencial para a replicação viral. A OSP é também importante no controle do vírus da gripe (H1N1) e é produzida principalmente a partir do ácido chiquímico (SA) extraído das plantas. A principal fonte de OSP é a partir de sementes de I. verum. A Cryptomeria japonica é uma das alternativas para satisfazer a demanda mundial, uma vez que C. japonica sendo uma árvore, explorada para produção comercial, pode ser uma fonte renovável e fiável SA para a produção de OSP.

Efeito dos parâmetros do processo de secagem por pulverização em Uncaria tomentosa (Willd. ex Schult.) DC. extratos secos. Este estudo teve como objetivo avaliar os parâmetros do processo de secagem por pulverização sobre as propriedades de diferentes extratos obtidos a partir de U. tomentosa (Willd. ex Schult.) DC. (garra de gato), uma planta da família das Rubiaceae, da região amazônica, utilizada na medicina tradicional como matéria-prima para fitoterápicos indicados para a artrite e osteoartrite. A melhor configuração de secagem por pulverização para as características desejadas (menor higroscopicidade e umidade) utilizou o bocal de pulverização maior com um diâmetro de 1,2 mm e a temperatura mais elevada de 150°C, com ambos os portadores.

Estudo químico e avaliação da atividade antimalárica dos galhos de Piranhea trifoliate. Este trabalho teve como objetivos o estudo químico dos galhos de Piranhea trifoliata (Picrodendraceae) e a avaliação do seu potencial antimalárico, com duas coletas no estado do PA, Brasil. Quanto à atividade antimalárica, os extratos e as fases dos extratos MeOH foram avaliados in vitro frente ao Plasmodium falciparum, e os extratos MeOH da 1ª e 2ª coletas foram considerados ativos (CI50 = 13,7 µg/mL; CI50 = 5,8 µg/mL, respectivamente). Este trabalho contribuiu para o conhecimento biológico e químico da espécie Piranhea trifoliata e da família Picrodendraceae, sendo o primeiro relato de atividades biológicas para a espécie em estudo.

Etnobotânica aplicada à seleção de espécies nativas amazônicas como subsídio à regionalização da fitoterapia no SUS: Oriximiná – Pará. Neste estudo, conduziu-se levantamento etnobotânico das plantas utilizadas como medicinais, por moradores de Oriximiná-PA, e analisou-se presença das nativas da Amazônia em documentos do Sistema Único de Saúde (SUS). Por entrevistas obteve-se a coleta e identificação de 112 espécies pertencentes a 50 famílias, sendo a maior parte referente à família Fabaceae e nativas da Amazônia (56%). Foram comparadas nativas da Amazônia com aquelas presentes em 14 documentos do SUS. O estudo etnobotânico conduzido em Oriximiná demonstra a importância das nativas para a população, em contrapartida à sua pouca representatividade no SUS. Pesquisa desta natureza, objetiva alinhar políticas de saúde ao território.

Contribuições da bioinformática no estudo dos antifúngicos naturais: revisão num contexto farmacológico. A proposta dessa revisão foi atualizar os conhecimentos relativos à aplicação de métodos computacionais, ferramentas valiosas para a investigação de compostos antifúngicos naturais, de sistemas biológicos, aplicadas à bioquímica, imunologia, farmacologia, etc. Para este trabalho, buscaram-se, em bases de dados eletrônicas, artigos científicos pertinentes e relevantes sobre estudos in silico de novos e conhecidos agentes antifúngicos naturais. No contexto farmacológico, considerou-se: alvos moleculares, mecanismos de efeitos terapêuticos e tóxicos, bem como mecanismos de resistência e sua reversão, com especial enfoque nas micoses humanas. Nesta revisão resumem-se importantes contribuições de estudos de bioinformática para o desenho e descoberta de novos agentes potenciais.

Nanoemulsões formuladas para uso tópico: estudo de síntese e toxicidade. Este estudo de revisão descreve metodologias de síntese de nanoemulsões utilizando para composição da fórmula, extratos e óleos vegetais, medicamentos alopáticos convencionais e nanopartículas metálicas. A Nanotecnologia tem se destacado significativamente em diversas áreas da ciência, em especial, na área farmacêutica. Os nanocarreadores de fármacos apresentam uma alternativa segura e eficaz, apresentando propriedades importantes do ponto de vista farmacoterápico. Trata-se de sistemas constituídos por glóbulos bastante reduzidos, em escala manométrica, que podem veicular princípio ativo sendo ainda adequados à distribuição de substâncias ativas na pele, permitindo maior absorção.

Desenvolvimento de Fitoterápicos a partir das Folhas da Nogueira-da-Índia (Aleurites moluccanus): relato de experiência de parceria entre universidade comunitária e indústria farmacêutica nacional. Este trabalho relata o desenvolvimento de novos e efetivos fitoterápicos obtidos a partir das folhas de Aleurites mollucanus (Euphorbiaceae), uma espécie exótica, proveniente da Ásia. Nos estudos não clínicos e na etapa clínica-fase I foram desenvolvidos, em escala piloto, comprimidos a base do extrato seco padronizado de A. moluccanus, e estabelecidas formulações como creme tópico e suspensão oral. A padronização do extrato, em escala industrial, depende do cenário e consequente direcionamento do mercado. Este relato proporcionou uma visão sobre as superações vivenciadas por pesquisadores de uma Universidade Comunitária brasileira, na P&D de novo, efetivo e seguro fitoterápico analgésico e anti-inflamatório.

Boa leitura!                                                                                                                                          

Yolanda Arruda

  • Ver descrição da edição

    Neste número 4 estamos finalizando o volume 14 da Revista Fitos, atendendo assim a meta da pontualidade das publicações estabelecida para o ano de 2020. Apresentamos a seguir os resumos de 10 artigos publicados, sendo: 8 pesquisas, 1 revisão e 1 relato de experiência:

    Atividade antileishmanial in vitro e análise fitoquímica de Casearia javitensis Kunth (Salicaceae). O objetivo deste estudo foi realizar análises fitoquímicas do extrato de casca de Casearia javitensis e avaliar a sua atividade antipromastigante contra Leishmania amazonensis. O ensaio de antipromastigotas de Leishmania amazonensis e o teste de citotoxicidade contra a linha celular de leucemia monocítica aguda (THP-1) foram realizados pelo ensaio colorimétrico MTT. O perfil fitoquímico em cromatografia em camada fina (TLC) detectou terpenos em todas as amostras. Conclui-se que a fração em diclorometano (FrDcm) de C. javitensis tem potencial como leishmanicida, e esta atividade pode estar relacionada com a presença de composto fenólico. 

    Atividade do extrato de lichia (Litchi chinensis Sonn.) sobre os parâmetros bioquímicos e histológicos de ratos diabéticos. Neste estudo avaliou-se o efeito anti-hiperglicêmico do extrato hidroetanólico da casca e polpa dos frutos de Litchi chinensis (lichia) em ratos diabéticos. Foram avaliados a glicemia e os biomarcadores, como as triglicérides, colesterol, função renal e hepática. Tecidos como fígado, rins, coração e pâncreas foram retirados para análise histológica. Os ratos tratados tanto com a casca quanto com a polpa, obtiveram redução dos níveis de lipídeos, das taxas de triglicerídeos e colesterol. Litchi chinensis mostrou seu benefício nos efeitos hipoglicemiantes e hipolipemiantes, tendo potencial terapêutico na prevenção e no tratamento das complicações da diabetes mellitus.

    Caracterização dos compostos fenólicos e análise da qualidade de amostras de chá de Miconia albicans.  Neste estudo foram avaliados os constituintes fenólicos e a qualidade de cinco amostras de chás de M. albicans (canela de velho), adquiridos em ambientes comerciais da cidade de Jaraguá do Sul-SC. A toxicidade foi avaliada com larvas de Artemia salina. Os resultados de controle de qualidade da matéria-prima vegetal demonstraram estar em conformidade com as especificações descritas na Farmacopeia Brasileira. As amostras são potencialmente citotóxicas, tendo uma DL50 menor que 1000 µg/mL. Sugere-se que sejam realizados estudos adicionais dos benefícios farmacológicos e efeitos toxicológicos da espécie visando maior segurança aos usuários.

    Cryptomeria japonica (L. F.) D. Don como fonte de ácido chiquímico. Neste estudo, encontrou-se um conteúdo de 56,36 mg.kg-1 de SA na biomassa seca de C. japonica, enquanto que para a Illicium verum, a fonte tradicional, era de 96,57 mg.kg-1. O fosfato de oseltamivir (OSP), comercializado sob a marca Tamiflu®, é um potente inibidor da neuraminidase viral, uma enzima glicosídica hidrolase essencial para a replicação viral. A OSP é também importante no controle do vírus da gripe (H1N1) e é produzida principalmente a partir do ácido chiquímico (SA) extraído das plantas. A principal fonte de OSP é a partir de sementes de I. verum. A Cryptomeria japonica é uma das alternativas para satisfazer a demanda mundial, uma vez que C. japonica sendo uma árvore, explorada para produção comercial, pode ser uma fonte renovável e fiável SA para a produção de OSP.

    Efeito dos parâmetros do processo de secagem por pulverização em Uncaria tomentosa (Willd. ex Schult.) DC. extratos secos. Este estudo teve como objetivo avaliar os parâmetros do processo de secagem por pulverização sobre as propriedades de diferentes extratos obtidos a partir de U. tomentosa (Willd. ex Schult.) DC. (garra de gato), uma planta da família das Rubiaceae, da região amazônica, utilizada na medicina tradicional como matéria-prima para fitoterápicos indicados para a artrite e osteoartrite. A melhor configuração de secagem por pulverização para as características desejadas (menor higroscopicidade e umidade) utilizou o bocal de pulverização maior com um diâmetro de 1,2 mm e a temperatura mais elevada de 150°C, com ambos os portadores.

    Estudo químico e avaliação da atividade antimalárica dos galhos de Piranhea trifoliate. Este trabalho teve como objetivos o estudo químico dos galhos de Piranhea trifoliata (Picrodendraceae) e a avaliação do seu potencial antimalárico, com duas coletas no estado do PA, Brasil. Quanto à atividade antimalárica, os extratos e as fases dos extratos MeOH foram avaliados in vitro frente ao Plasmodium falciparum, e os extratos MeOH da 1ª e 2ª coletas foram considerados ativos (CI50 = 13,7 µg/mL; CI50 = 5,8 µg/mL, respectivamente). Este trabalho contribuiu para o conhecimento biológico e químico da espécie Piranhea trifoliata e da família Picrodendraceae, sendo o primeiro relato de atividades biológicas para a espécie em estudo.

    Etnobotânica aplicada à seleção de espécies nativas amazônicas como subsídio à regionalização da fitoterapia no SUS: Oriximiná – Pará. Neste estudo, conduziu-se levantamento etnobotânico das plantas utilizadas como medicinais, por moradores de Oriximiná-PA, e analisou-se presença das nativas da Amazônia em documentos do Sistema Único de Saúde (SUS). Por entrevistas obteve-se a coleta e identificação de 112 espécies pertencentes a 50 famílias, sendo a maior parte referente à família Fabaceae e nativas da Amazônia (56%). Foram comparadas nativas da Amazônia com aquelas presentes em 14 documentos do SUS. O estudo etnobotânico conduzido em Oriximiná demonstra a importância das nativas para a população, em contrapartida à sua pouca representatividade no SUS. Pesquisa desta natureza, objetiva alinhar políticas de saúde ao território.

    Contribuições da bioinformática no estudo dos antifúngicos naturais: revisão num contexto farmacológico. A proposta dessa revisão foi atualizar os conhecimentos relativos à aplicação de métodos computacionais, ferramentas valiosas para a investigação de compostos antifúngicos naturais, de sistemas biológicos, aplicadas à bioquímica, imunologia, farmacologia, etc. Para este trabalho, buscaram-se, em bases de dados eletrônicas, artigos científicos pertinentes e relevantes sobre estudos in silico de novos e conhecidos agentes antifúngicos naturais. No contexto farmacológico, considerou-se: alvos moleculares, mecanismos de efeitos terapêuticos e tóxicos, bem como mecanismos de resistência e sua reversão, com especial enfoque nas micoses humanas. Nesta revisão resumem-se importantes contribuições de estudos de bioinformática para o desenho e descoberta de novos agentes potenciais.

    Nanoemulsões formuladas para uso tópico: estudo de síntese e toxicidade. Este estudo de revisão descreve metodologias de síntese de nanoemulsões utilizando para composição da fórmula, extratos e óleos vegetais, medicamentos alopáticos convencionais e nanopartículas metálicas. A Nanotecnologia tem se destacado significativamente em diversas áreas da ciência, em especial, na área farmacêutica. Os nanocarreadores de fármacos apresentam uma alternativa segura e eficaz, apresentando propriedades importantes do ponto de vista farmacoterápico. Trata-se de sistemas constituídos por glóbulos bastante reduzidos, em escala manométrica, que podem veicular princípio ativo sendo ainda adequados à distribuição de substâncias ativas na pele, permitindo maior absorção.

    Desenvolvimento de Fitoterápicos a partir das Folhas da Nogueira-da-Índia (Aleurites moluccanus): relato de experiência de parceria entre universidade comunitária e indústria farmacêutica nacional. Este trabalho relata o desenvolvimento de novos e efetivos fitoterápicos obtidos a partir das folhas de Aleurites mollucanus (Euphorbiaceae), uma espécie exótica, proveniente da Ásia. Nos estudos não clínicos e na etapa clínica-fase I foram desenvolvidos, em escala piloto, comprimidos a base do extrato seco padronizado de A. moluccanus, e estabelecidas formulações como creme tópico e suspensão oral. A padronização do extrato, em escala industrial, depende do cenário e consequente direcionamento do mercado. Este relato proporcionou uma visão sobre as superações vivenciadas por pesquisadores de uma Universidade Comunitária brasileira, na P&D de novo, efetivo e seguro fitoterápico analgésico e anti-inflamatório.

    Boa leitura!                                                                                                                                          

    Yolanda Arruda

Baixar edição completa

PDF

Editorial

Um ciclo de 15 anos

Villas Boas, G. d. K.

PDF

Artigo de Pesquisa

Atividade do extrato de lichia (Litchi chinensis Sonn.) sobre os parâmetros bioquímicos e histológicos de ratos diabéticos

Brasil, F d F;
Santos, E C F d;
Costa, F M d;
Correa, G H B;
et al.
| 436-449

PDF HTML

Artigo de Pesquisa

Cryptomeria japonica (L. F.) D. Don as source of shikimic acid

Cerdeira, A L;
Nascimento Queiroz, S C;
Barifouse Matallo, M.
| 462-468

PDF HTML

Artigo de Pesquisa

Efeito dos parâmetros de secagem por aspersão nos extratos secos de Uncaria tomentosa (Willd. ex Schult.) DC.

Rodrigues, L O;
Faria, R A d;
Gouvêa, M M;
Peregrino, C A d F;
et al.
| 469-475

PDF HTML

Artigo de Pesquisa

Estudo químico e avaliação da atividade antimalárica dos galhos de Piranhea trifoliata

Pedroza, L d S;
Salazar, M G M;
Osorio, M I C;
Fachin-Espinar, M T;
et al.
| 476-491

PDF HTML

Artigo de Pesquisa

Nanoemulsões formuladas para uso tópico: estudo de síntese e toxicidade

Porto, A S;
Almeida, I V d;
Vicentini, V. E. P.
| 513-527

PDF HTML

Artigo de Pesquisa

Atividade antileishmanial in vitro e análise fitoquímica de Casearia javitensis Kunth (Salicaceae)

Silva, C M d;
Eiró, L G;
Silva-Silva, J V;
Corrêa-Barbosa, J;
et al.
| 528-537

PDF HTML