Compartilhe:

Publicado em 30/09/2020

Edição Atual | v. 14 n. 3 (2020)

Neste número 3, a Revista Fitos apresenta trabalhos da temática: “Práticas Integrativas e Complementares – PICS”, contemplando Plantas Medicinais e Fitoterapia, Homeopatia, Terapia Floral e Hipnoterapia. Além das contribuições de diferentes instituições de ensino e pesquisa, trazemos os trabalhos apresentados no 4º Encontro Nacional de Odontologia Integrativa – ENOI e da 2ª Feira de Experiência de Odontologia Integrativa - FEOI, cujo tema foi “A contribuição das PICS na excelência de resultados nas especialidades”. O evento foi realizado com o apoio do CRO-DF, da Universidade de Brasília-UnB, do SODF e instituições empresariais do setor, nos dias 13 e 14 de setembro de 2019, no auditório 3 da Faculdade de Ciências da Saúde da UnB, em Brasília.

Práticas Integrativas e Complementares – PICS

 “Análise de vídeos do Youtube sobre o uso dos Florais de Bach”. O objetivo do estudo foi analisar os conteúdos dos vídeos do Youtube que abordam o uso dos florais de Bach. Como critério de inclusão utilizou-se vídeos apresentados por youtubers na língua portuguesa com mais de 2.000 visualizações. Apresentou-se como resultado um quadro sinóptico com os florais, emoções, indicação, posologia e contraindicações. A pesquisa proporcionou uma visão ampla das indicações e características dos florais de Bach como terapia, permitindo uma reflexão desses vídeos e a importância da divulgação e trocas de experiências entre os terapeutas florais.

“Perfil dos fitoterápicos dispensados em uma farmácia magistral do município de Jacutinga - MG”. Este estudo teve como objetivo verificar o perfil dos fitoterápicos aviados, e mais frequentemente dispensados, em uma Farmácia magistral de Jacutinga - MG. Realizou-se pesquisa quantitativa do tipo descritiva, documental, transversal, a partir da coleta de dados dos registros eletrônicos. Dentre as formas farmacêuticas, a mais aviada foi a de cápsula gelatinosa e, em relação à dispensação, sendo 56% das formulações para fitoterápicos simples, mediante a prescrição, e para fitoterápicos compostos foi de 50%. Dentre os profissionais prescritores se destacaram médicos, nutricionistas, biomédicos e médicos veterinários. Esses dados são importantes para a reflexão ao desenvolvimento da fitoterapia, à prescrição e ao uso racional de fitoterápicos.

“Plantas medicinais e fitoterapia no SUS em Itapeva - SP: integrando saberes e conhecimentos para o cuidado em saúde”. O presente artigo tem como objetivo descrever e analisar o processo de implantação da fitoterapia no SUS em Itapeva-SP e a sua contribuição para geração, integração de conhecimentos e cuidado em saúde. O estudo foi realizado a partir de Análise Documental, com base no método de Sistematização de Práticas Sociais. Conclui-se que o processo possibilitou: 1- a geração e aplicação de conhecimentos através de pesquisa etnobotânica; 2 - a ampliação e aprimoramento dos sistemas produtivos de base familiar, a partir dos conhecimentos tradicionais, promovendo o acesso aos medicamentos fitoterápicos e produto tradicional fitoterápico nos padrões técnicos e científicos de qualidade e segurança aos usuários locais.

“Uso de plantas medicinais por adultos diabéticos e/ou hipertensos de uma unidade básica de saúde do município de Caucaia-CE, Brasil”. O objetivo deste trabalho foi investigar o uso dessas plantas por pacientes diagnosticados com diabetes do tipo 2 e/ou hipertensão arterial sistêmica, atendidos na unidade básica de saúde do município de  Caucaia-CE. Trata-se de um estudo descritivo, quantitativo, transversal, por método de amostragem por conveniência. Entrevistou-se 102 pessoas, 90% mulheres, das quais 29,4% usavam plantas medicinais. Verificou-se 18 espécies diferentes de plantas medicinais. Conclui-se que as plantas utilizadas podem auxiliar no tratamento de doenças, se empregadas de forma adequada, sendo necessários mais estudos para a devida aplicação desta prática.

 “Projeto Beth Bruno: nas comunidades da Amazônia, a união do saber popular e das práticas integrativas e complementares”. O objetivo do projeto Beth Bruno é capacitar lideranças comunitárias, como cuidadores (terapeutas naturalistas) e agentes multiplicadores de saúde, para que possam cuidar de suas comunidades, utilizando como recursos as práticas integrativas e complementares. Este Projeto vem beneficiando uma população composta por pessoas de comunidades de baixa renda da periferia das cidades e moradores da zona rural. A proximidade da floresta deu a essa população características próprias, uma delas é o uso das plantas nas diferentes demandas do cotidiano: na alimentação, nos remédios naturais, na produção artesanal de utensílios domésticos e na criação de bijuterias. O Projeto Beth Bruno contempla, hoje, comunidades de outras regiões do estado do Pará, e de outros estados como: Maranhão, Piauí e Roraima.

Trabalhos do 4º Encontro Nacional de Odontologia Integrativa – ENOI / 2ª Feira de Experiência de Odontologia Integrativa – FEOI

 “Ação anti-inflamatória do Ferrum Phosphoricum 6CH na polpa dentária de ratos”. O objetivo desse estudo foi avaliar a ação do medicamento Ferrum phosphoricum 6CH na inflamação aguda da polpa dentária de ratos.  O medicamento é indicado em literatura homeopática na fase aguda de inflamações com alterações vasculares e congestivas, sobretudo na cavidade oral. As polpas dentárias foram obtidas pós-eutanásia de três ratos de cada grupo por dia, fixadas e coradas para análise histológica. O medicamento apresentou ação anti-inflamatória nas polpas dentais dos animais do experimento.

“Avaliação do conhecimento e uso de plantas medicinais e fitoterápicos por dentistas do Seridó Potiguar - RN”. O estudo teve como objetivo investigar o conhecimento, atitude e prática dos cirurgiões - dentistas, que atendem na região do Seridó no Rio Grande do Norte, sobre a fitoterapia na prática clínica. A pesquisa foi tipo exploratório e descritivo, com coleta de dados / questionário estruturado, de perguntas abertas e fechadas por análise bivariada e do teste Qui-quadrado. Apenas 17,7% dos dentistas entrevistados usam ou indicam plantas medicinais ou fitoterápicos, e a espécie mais indicada é a camomila (Matricaria chamomilla), para aliviar os sintomas da erupção dentária em bebês, tratamento de inflamação e ajuda no processo de cicatrização e o fitoterápico é a Valeriane  (Valeriana officinalis L). Conclui-se assim, que os dentistas em questão fazem pouca indicação ou prescrição de plantas medicinais e fitoterápicos e é possível que isso se dê pelo pouco conhecimento acerca da temática.

“Fitoterapia como alternativa à medicação intracanal convencional”. O objetivo desse trabalho foi apresentar estudos e pesquisas que comprovam a potente energia de autocura dos florais quânticos em ação para estimular o processo terapêutico de cada organismo. As informações energéticas contidas nos florais quânticos são passadas às nossas células através da membrana celular, que emite biofótons energéticos e que também possui receptores que aceitam biofótons vindos de outras células ou fótons originados de medicamentos vibracionais. Percebe-se, com isso, a natureza imaterial do ser humano e a interação entre todas as formas de energia.

 “Homeopatia na revascularização e consolidação de fratura radicular: relato de caso”. O objetivo deste estudo foi apresentar dois relatos de casos bem-sucedidos, com o auxílio dos medicamentos homeopáticos: Ferrum phosphoricum 6CH para a manutenção da vascularização e vitalidade pulpar no tratamento imediato e composto de Calcarea carbonica 6CH; Calcarea phosphorica 6CH e Calcarea fluorica 6CH na promoção de reparação tecidual de fraturas. Fatores como a localização da fratura, o grau de deslocamento do fragmento e condição pulpar determinam a escolha de tratamentos e prognóstico do dente. Os dentes mantiveram condições pulpares de normalidade, reparação tecidual das fraturas radiculares e funções mastigatórias ideais.

“Hipnose e analgesia na exodontia: relato de caso”. O objetivo desse estudo foi apresentar um relato de caso com tratamento por hipnose, demonstrando assim o efeito da hipnose no controle da dor durante exodontia de terceiro molar, com mínimo de anestesia. Realizou-se a técnica de hipnose rápida com analgesia da região e dissociação da dor. Conclui-se que, a técnica é viável em pacientes sugestionáveis, minimizando os efeitos adversos da anestesia e possibilitando, nestes casos, a ausência de dor e o incômodo durante a cirurgia, e a melhora o controle do pós-operatório.

“Odontologia integrativa: abordagem sistêmica na odontologia”. Nesta perspectiva, apresenta-se a importância do uso das Práticas Integrativas e Complementares à Saúde Bucal (CPICSB) em uma abordagem sistêmica. Em setembro de 2019, a Câmara Técnica de Odontologia do CRO-DF com o apoio do Sindicato dos Odontologistas do DF (SODF), da Universidade de Brasília e do CRO-DF promoveu o 4º ENOI com programação arrojada, incluindo um pré-evento que consistiu no Curso de Fitoterapia, mesa redonda, painéis de trabalhos científicos e a segunda edição da FEOI. Embora as dificuldades encontradas para a implementação do pensamento sistêmico, como uma nova racionalidade em saúde e, especificamente na Odontologia sejam diversas, as sementes estão sendo lançadas e os frutos serão de grande valia para a transformação das relações entre profissionais e pacientes, contribuindo para a elevação do padrão humanista de atendimento e na excelência de resultados dos procedimentos odontológicos.

“Bases científicas sobre ação dos florais quânticos”. Esta perspectiva apresenta estudos e pesquisas realizados por especialistas que provam que a membrana celular emite biofótons energéticos e que também possui receptores que aceitam biofótons vindos de outras células ou fótons originados de medicamentos vibracionais. Portanto, as informações energéticas contidas nos florais quânticos são passadas às nossas células através da membrana celular. Claramente, percebe-se a natureza imaterial do ser humano e a interação entre todas as formas de energia. É nesta potente energia de autocura que os florais quânticos agem para estimular o processo terapêutico de cada organismo.

Boa leitura!                                                                                                                                                              

Yolanda Arruda

  • Ver descrição da edição

    Neste número 3, a Revista Fitos apresenta trabalhos da temática: “Práticas Integrativas e Complementares – PICS”, contemplando Plantas Medicinais e Fitoterapia, Homeopatia, Terapia Floral e Hipnoterapia. Além das contribuições de diferentes instituições de ensino e pesquisa, trazemos os trabalhos apresentados no 4º Encontro Nacional de Odontologia Integrativa – ENOI e da 2ª Feira de Experiência de Odontologia Integrativa - FEOI, cujo tema foi “A contribuição das PICS na excelência de resultados nas especialidades”. O evento foi realizado com o apoio do CRO-DF, da Universidade de Brasília-UnB, do SODF e instituições empresariais do setor, nos dias 13 e 14 de setembro de 2019, no auditório 3 da Faculdade de Ciências da Saúde da UnB, em Brasília.

    Práticas Integrativas e Complementares – PICS

     “Análise de vídeos do Youtube sobre o uso dos Florais de Bach”. O objetivo do estudo foi analisar os conteúdos dos vídeos do Youtube que abordam o uso dos florais de Bach. Como critério de inclusão utilizou-se vídeos apresentados por youtubers na língua portuguesa com mais de 2.000 visualizações. Apresentou-se como resultado um quadro sinóptico com os florais, emoções, indicação, posologia e contraindicações. A pesquisa proporcionou uma visão ampla das indicações e características dos florais de Bach como terapia, permitindo uma reflexão desses vídeos e a importância da divulgação e trocas de experiências entre os terapeutas florais.

    “Perfil dos fitoterápicos dispensados em uma farmácia magistral do município de Jacutinga - MG”. Este estudo teve como objetivo verificar o perfil dos fitoterápicos aviados, e mais frequentemente dispensados, em uma Farmácia magistral de Jacutinga - MG. Realizou-se pesquisa quantitativa do tipo descritiva, documental, transversal, a partir da coleta de dados dos registros eletrônicos. Dentre as formas farmacêuticas, a mais aviada foi a de cápsula gelatinosa e, em relação à dispensação, sendo 56% das formulações para fitoterápicos simples, mediante a prescrição, e para fitoterápicos compostos foi de 50%. Dentre os profissionais prescritores se destacaram médicos, nutricionistas, biomédicos e médicos veterinários. Esses dados são importantes para a reflexão ao desenvolvimento da fitoterapia, à prescrição e ao uso racional de fitoterápicos.

    “Plantas medicinais e fitoterapia no SUS em Itapeva - SP: integrando saberes e conhecimentos para o cuidado em saúde”. O presente artigo tem como objetivo descrever e analisar o processo de implantação da fitoterapia no SUS em Itapeva-SP e a sua contribuição para geração, integração de conhecimentos e cuidado em saúde. O estudo foi realizado a partir de Análise Documental, com base no método de Sistematização de Práticas Sociais. Conclui-se que o processo possibilitou: 1- a geração e aplicação de conhecimentos através de pesquisa etnobotânica; 2 - a ampliação e aprimoramento dos sistemas produtivos de base familiar, a partir dos conhecimentos tradicionais, promovendo o acesso aos medicamentos fitoterápicos e produto tradicional fitoterápico nos padrões técnicos e científicos de qualidade e segurança aos usuários locais.

    “Uso de plantas medicinais por adultos diabéticos e/ou hipertensos de uma unidade básica de saúde do município de Caucaia-CE, Brasil”. O objetivo deste trabalho foi investigar o uso dessas plantas por pacientes diagnosticados com diabetes do tipo 2 e/ou hipertensão arterial sistêmica, atendidos na unidade básica de saúde do município de  Caucaia-CE. Trata-se de um estudo descritivo, quantitativo, transversal, por método de amostragem por conveniência. Entrevistou-se 102 pessoas, 90% mulheres, das quais 29,4% usavam plantas medicinais. Verificou-se 18 espécies diferentes de plantas medicinais. Conclui-se que as plantas utilizadas podem auxiliar no tratamento de doenças, se empregadas de forma adequada, sendo necessários mais estudos para a devida aplicação desta prática.

     “Projeto Beth Bruno: nas comunidades da Amazônia, a união do saber popular e das práticas integrativas e complementares”. O objetivo do projeto Beth Bruno é capacitar lideranças comunitárias, como cuidadores (terapeutas naturalistas) e agentes multiplicadores de saúde, para que possam cuidar de suas comunidades, utilizando como recursos as práticas integrativas e complementares. Este Projeto vem beneficiando uma população composta por pessoas de comunidades de baixa renda da periferia das cidades e moradores da zona rural. A proximidade da floresta deu a essa população características próprias, uma delas é o uso das plantas nas diferentes demandas do cotidiano: na alimentação, nos remédios naturais, na produção artesanal de utensílios domésticos e na criação de bijuterias. O Projeto Beth Bruno contempla, hoje, comunidades de outras regiões do estado do Pará, e de outros estados como: Maranhão, Piauí e Roraima.

    Trabalhos do 4º Encontro Nacional de Odontologia Integrativa – ENOI / 2ª Feira de Experiência de Odontologia Integrativa – FEOI

     “Ação anti-inflamatória do Ferrum Phosphoricum 6CH na polpa dentária de ratos”. O objetivo desse estudo foi avaliar a ação do medicamento Ferrum phosphoricum 6CH na inflamação aguda da polpa dentária de ratos.  O medicamento é indicado em literatura homeopática na fase aguda de inflamações com alterações vasculares e congestivas, sobretudo na cavidade oral. As polpas dentárias foram obtidas pós-eutanásia de três ratos de cada grupo por dia, fixadas e coradas para análise histológica. O medicamento apresentou ação anti-inflamatória nas polpas dentais dos animais do experimento.

    “Avaliação do conhecimento e uso de plantas medicinais e fitoterápicos por dentistas do Seridó Potiguar - RN”. O estudo teve como objetivo investigar o conhecimento, atitude e prática dos cirurgiões - dentistas, que atendem na região do Seridó no Rio Grande do Norte, sobre a fitoterapia na prática clínica. A pesquisa foi tipo exploratório e descritivo, com coleta de dados / questionário estruturado, de perguntas abertas e fechadas por análise bivariada e do teste Qui-quadrado. Apenas 17,7% dos dentistas entrevistados usam ou indicam plantas medicinais ou fitoterápicos, e a espécie mais indicada é a camomila (Matricaria chamomilla), para aliviar os sintomas da erupção dentária em bebês, tratamento de inflamação e ajuda no processo de cicatrização e o fitoterápico é a Valeriane  (Valeriana officinalis L). Conclui-se assim, que os dentistas em questão fazem pouca indicação ou prescrição de plantas medicinais e fitoterápicos e é possível que isso se dê pelo pouco conhecimento acerca da temática.

    “Fitoterapia como alternativa à medicação intracanal convencional”. O objetivo desse trabalho foi apresentar estudos e pesquisas que comprovam a potente energia de autocura dos florais quânticos em ação para estimular o processo terapêutico de cada organismo. As informações energéticas contidas nos florais quânticos são passadas às nossas células através da membrana celular, que emite biofótons energéticos e que também possui receptores que aceitam biofótons vindos de outras células ou fótons originados de medicamentos vibracionais. Percebe-se, com isso, a natureza imaterial do ser humano e a interação entre todas as formas de energia.

     “Homeopatia na revascularização e consolidação de fratura radicular: relato de caso”. O objetivo deste estudo foi apresentar dois relatos de casos bem-sucedidos, com o auxílio dos medicamentos homeopáticos: Ferrum phosphoricum 6CH para a manutenção da vascularização e vitalidade pulpar no tratamento imediato e composto de Calcarea carbonica 6CH; Calcarea phosphorica 6CH e Calcarea fluorica 6CH na promoção de reparação tecidual de fraturas. Fatores como a localização da fratura, o grau de deslocamento do fragmento e condição pulpar determinam a escolha de tratamentos e prognóstico do dente. Os dentes mantiveram condições pulpares de normalidade, reparação tecidual das fraturas radiculares e funções mastigatórias ideais.

    “Hipnose e analgesia na exodontia: relato de caso”. O objetivo desse estudo foi apresentar um relato de caso com tratamento por hipnose, demonstrando assim o efeito da hipnose no controle da dor durante exodontia de terceiro molar, com mínimo de anestesia. Realizou-se a técnica de hipnose rápida com analgesia da região e dissociação da dor. Conclui-se que, a técnica é viável em pacientes sugestionáveis, minimizando os efeitos adversos da anestesia e possibilitando, nestes casos, a ausência de dor e o incômodo durante a cirurgia, e a melhora o controle do pós-operatório.

    “Odontologia integrativa: abordagem sistêmica na odontologia”. Nesta perspectiva, apresenta-se a importância do uso das Práticas Integrativas e Complementares à Saúde Bucal (CPICSB) em uma abordagem sistêmica. Em setembro de 2019, a Câmara Técnica de Odontologia do CRO-DF com o apoio do Sindicato dos Odontologistas do DF (SODF), da Universidade de Brasília e do CRO-DF promoveu o 4º ENOI com programação arrojada, incluindo um pré-evento que consistiu no Curso de Fitoterapia, mesa redonda, painéis de trabalhos científicos e a segunda edição da FEOI. Embora as dificuldades encontradas para a implementação do pensamento sistêmico, como uma nova racionalidade em saúde e, especificamente na Odontologia sejam diversas, as sementes estão sendo lançadas e os frutos serão de grande valia para a transformação das relações entre profissionais e pacientes, contribuindo para a elevação do padrão humanista de atendimento e na excelência de resultados dos procedimentos odontológicos.

    “Bases científicas sobre ação dos florais quânticos”. Esta perspectiva apresenta estudos e pesquisas realizados por especialistas que provam que a membrana celular emite biofótons energéticos e que também possui receptores que aceitam biofótons vindos de outras células ou fótons originados de medicamentos vibracionais. Portanto, as informações energéticas contidas nos florais quânticos são passadas às nossas células através da membrana celular. Claramente, percebe-se a natureza imaterial do ser humano e a interação entre todas as formas de energia. É nesta potente energia de autocura que os florais quânticos agem para estimular o processo terapêutico de cada organismo.

    Boa leitura!                                                                                                                                                              

    Yolanda Arruda

Baixar edição completa

PDF

Artigo de Pesquisa

Ação anti-inflamatória do Ferrum Phosphoricum 6CH na polpa dentária de ratos

Coelho, B A R;
Kent, J G;
Nunes, A M;
Feighelstein, G A;
et al.
| 365-371

PDF HTML

Artigo de Pesquisa

Fitoterapia como alternativa à medicação intracanal convencional

Espirito Santo, R P d;
Pereira, C d L R;
Detone, V M;
Chaves, M. d. G. A. M.
| 382-389

PDF HTML

Artigo de Pesquisa

Plantas medicinais e fitoterapia no SUS em Itapeva/SP: integrando saberes e conhecimentos para o cuidado em saúde

Campolim Moraes, F;
Jesus, P G d;
Chechetto , F;
Machado, V. F. S.
| 333-340

PDF HTML