As memórias socioambientais da etnia terena e a relação com a educação ambiental

Nascimento ECM;
OrcID
Medeiros HQ
OrcID

Elisangela Castedo Maria do Nascimento

Secretaria Estadual de Educação cedida para a Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul. Rua Fernando Correa da Costa, 559, Centro, CEP 79 002-820, Campo Grande, MS, Brasil.

https://orcid.org/0000-0002-8448-3315

Pós-doutoranda pelo Programa de Pós Graduação em Educação/Universidade Católica Dom Bosco. Doutora em Educação pelo PPGE/Universidade Católica Dom Bosco na linha de pesquisa Diversidade Cultural e Educação Indígena, pesquisou no foco da Educação Ambiental na área indígena. Mestre em Ensino de Ciências/Educação Ambiental em área indígena/UFMS. Especialista em gestão escolar/UFMS. Especialista em Biologia/Manejo de recursos Ambientais/UFMS. Graduada em Biologia/UFMS. Concursada pela - Secretaria de Educação do Estado do Mato Grosso do Sul, e Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Aquidauana, atualmente cedida para a Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul. Atuou como coordenadora pedagógica em 2016 e 2017. Atuou como professora em área indígena de 2003 á 2011. Atuou como professora da Licenciatura Intercultural Indígena "Povos do Pantanal" de 2011 á 2018. Atuou como professora do Ensino Superior de 2007 à 2018 em vários cursos da UFMS - Campus de Aquidauana. Tem experiência como professora em pós-graduação e em tutoria a distância pela UFMS. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Ensino de Ciências, atuando principalmente nos seguintes temas: educação ambiental, educação escolar indígena, formação de professores, meio ambiente e educação do campo.

Heitor Queiroz de Medeiros

Universidade Católica Dom Bosco, Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE). Av. Tamandaré, 6000, Jardim Centenário, CEP 79117-900, Campo Grande, MS, Brasil.

https://orcid.org/0000-0001-5313-1811

Pós-doutoramento no Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) na Linha de Pesquisa Movimentos Sociais, Política e Educação Popular, 2017-2018. Doutorado em Ciências - Ecologia e Recursos Naturais, pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) 2006. Mestrado em Ciência Ambiental, pela Universidade de São Paulo (USP) 1999. Graduação em História pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).


Palavras-chave

Natureza
Saberes tradicionais
Educação ambiental
  • Resumo

    Este artigo é um dos resultados da pesquisa de doutorado cujo objetivo foi compreender a relação dos indígenas Terena da Aldeia Lagoinha, no Município de Aquidauana, Mato Grosso do Sul, com a natureza e, como seus saberes e memórias socioambientais podem contribuir com a Educação Ambiental brasileira. Buscou-se a valorização dos saberes indígenas sem homogeneizar as tradições ou essencializar, conferindo-lhes uma pureza que não existe. Os dados foram produzidos pelo método da história oral. As entrevistas foram gravadas, transcritas e interpretadas à luz da teoria pós-crítica. A cultura ocidental a partir da modernidade tem transformado a natureza em mercadoria gerando problemas socioambientais, objeto de análise da Educação Ambiental, assim como a resolução desses problemas. As comunidades tradicionais observaram e compreenderam a biodiversidade com a qual conviviam e por meio dessa desenvolveram práticas e técnicas sustentáveis de sobrevivência no uso dos ambientes em que viveram e vivem. Esses saberes são o resultado de traduções para sobrevivência que influenciaram sua cultura e seu ambiente, podendo ser usados em processos formativos em Educação Ambiental em todas as regiões do país, pois, os povos originários estão presentes na sociedade brasileira como detentores de saberes tradicionais valiosos.

  • Referências

    1. Carvalho ICM. Educação ambiental: a formação do sujeito ecológico. 3ª ed. São Paulo: Cortez, 2008.
    2. Tristão M. A Educação Ambiental e o pós-colonialismo. Rev Educ Públ. 2014; 23( 53/2): 473-89. Disponível em: [https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/educacaopublica/article/view/1748/1318]
    3. Tristão M. Educação ambiental e a descolonização do pensamento. REMEA - Rev Eletr Mestr Educ Amb. Edição especial, jul. 2016; p.28-49, Disponível em: [https://periodicos.furg.br/remea/article/view/5958/3681].
    4. Santos, B. S. A gramática do tempo: para uma nova cultura política. 2ª ed. São Paulo: Cortez, 2008.
    5. Diegues ACS. Etnoconservação da natureza: enfoques alternativos. In: Etnoconservação: novos rumos para a proteção da natureza nos trópicos. São Paulo: USP, 2000.
    6. Sato M, Passos LA. Arte-educação-ambiental. Ambiente & Educação. 2009; 14(1): 43-59. Disponível em: [https://periodicos.furg.br/ambeduc/article/view/1136/446].
    7. Godoy AS. Pesquisa qualitativa: tipos fundamentais. Rev Admin Empr. 1995; 35(3): 20-9. Disponível em: [https://doi.org/10.1590/S0034-75901995000300004].
    8. Meyer DE, Paraíso MA (org.). Metodologias de pesquisa pós-crítica em educação. 2ª ed. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2012.
    9. Brand A. História oral: perspectivas, questionamentos e sua aplicabilidade em culturas orais. Hist Unisinos. 2000; 4(2): 195-227.
    10. Freitas EG, Nishida SM. Métodos de estudo do comportamento animal. In: Comportamento animal. Natal: EDUFRN; 2006.
    11. Morin E. O paradigma perdido: a natureza humana. Editora Publicações Europa-América; 1973.
    12. Loiola AS, Oliveira SF, Ratts AJP. Objetos, ações e processos naturais: de marcadores espaço-temporais a memórias socioambientais. Rev Depart Geogr. 2011; 21: 66-90. Disponível em: [https://www.revistas.usp.br/rdg/article/view/47231/50967].
    13. Seemann J. Mapeando culturas e espaços: uma revisão para a geografia cultural no Brasil. In: Geografia: leituras culturais. Goiânia: Alternativa, 2003.
    14. Woodward, K. Identidade e diferença: uma introdução teórica e conceitual. In: Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2000. Disponível em: [http://diversidade.pr5.ufrj.br/images/banco/textos/SILVA_-_Identidade_e_Diferen%C3%A7a.pdf].
    15. Kopenawa D, Albert B. A queda do céu: palavras de um xamã yanomami. 1ª ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.
    16. Seizer da Silva ACS. Kalivôno Hikó Terenôe: sendo criança indígena Terena do século XXI - vivendo e aprendendo nas tramas das tradições, traduções e negociações. 210p. Campo Grande; 2016. Tese de Doutorado [Programa de Pós-Graduação em Educação] – Universidade Católica Dom Bosco, UCDB, Campo Grande, MS. 2016. [https://docplayer.com.br/131048934-Kalivono-hiko-terenoe-sendo-crianca-indigena-terena-do-no-seculo-xxi-vivendo-e-aprendendo-nas-tramas-das-tradicoes-traducoes-e-negociacoes.html].
    17. UNESCO-UNEP. International strategy for action in the field of environmental education and training for the 1990s. 1987. Disponível em: [https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000080583]. Acesso em: 10 ago. 2020.
    18. Brasil. Casa Civil. Lei nº 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. De 27 de abril de 1999. Disponível em: [https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9795.htm].
    19. Hall S. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Editora UFMG, Brasília: Representação da Unesco no Brasil, 2003.
    20. GuattarI F. As três ecologias. Campinas: Papirus, 1990.

Como citar

1.
Nascimento ECM do, Medeiros HQ de. As memórias socioambientais da etnia terena e a relação com a educação ambiental. Rev Fitos [Internet]. 16º de janeiro de 2024 [citado 3º de março de 2024];18(Suppl. 2):e1464. Disponível em: https://revistafitos.far.fiocruz.br/?journal=revista-fitos&page=article&op=view&path[]=1464

Autor(es)

  • Elisangela Castedo Maria do Nascimento
    Secretaria Estadual de Educação cedida para a Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul. Rua Fernando Correa da Costa, 559, Centro, CEP 79 002-820, Campo Grande, MS, Brasil.
    https://orcid.org/0000-0002-8448-3315
  • Heitor Queiroz de Medeiros
    Universidade Católica Dom Bosco, Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE). Av. Tamandaré, 6000, Jardim Centenário, CEP 79117-900, Campo Grande, MS, Brasil.
    https://orcid.org/0000-0001-5313-1811

Métricas

  • Artigo visto 132 vez(es)

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Citações


Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License. Copyright (c) 2024 Revista Fitos
Informe um erro