Atividade gastroprotetora pré-clínica de um extrato de Eugenia brasiliensis Lam. (Myrtaceae)

Campos AJ;
OrcID
Mews MHR;
OrcID
Dal Magro DD;
OrcID
Alberton MD;
OrcID
de Lima DD;
OrcID
Pereira EM
OrcID

Ana Júlia Campos

Universidade da Região de Joinville, Universidade da Região de Joinville. Rua Paulo Malschitzki, 10, Zona Industrial Norte, CEP 89219-700, Joinville, SC, Brasil.

https://orcid.org/0000-0002-7388-4359

Pharmacist with experience in the integration and support of the various technical and administrative areas of the pharmaceutical industry, with skills to manage and execute projects involving product development and process improvements. Dynamic, pragmatic and organized, I am driven by challenges. I enjoy working in environments that encourage learning and projects that involve broadly relevant ideas or issues.

Matheus Henrique Ruela Mews

Universidade da Região de Joinville

https://orcid.org/0000-0001-6314-8588

Possui graduação em Farmácia (2018) pela Universidade da Região de Joinville - Univille. Atualmente é docente no Instituto Pró-Rim de Educação e Pesquisa em Saúde - IPREPS, nas disciplinas de Farmacologia e cálculo. Pós graduando em Gestão da Qualidade e Produtividade. Tem experiência na área de Farmácia Industria, atuando em controle de qualidade.

Debora Delwing Dal Magro

Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB), Departamento de Ciências Farmacêuticas. Departamento de Ciências Farmacêuticas, Campus III, Rua São Paulo, 2171, Itoupava Seca, CEP 89030-001, Blumenau, SC, Brasil.

https://orcid.org/0000-0003-4459-1562

Possui graduação em Farmácia e Bioquímica pela Universidade Luterana do Brasil, Mestrado e Doutorado em Ciências Biológicas (Bioquimica) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul . Atualmente é docente titular na graduação e orientadora/pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Biodiversidade da Fundação Universidade Regional de Blumenau. Atua na pesquisa científica com com os temas: Erros Inatos do Metabolismo, doenças metabólicas, doenças/condições que acometem o Sistema Nervoso Central (autismo, epilepsia, depressão, Doença de Parkinson), dor, estresse oxidativo, comportamento, metabolismo energético e bioprospecção.

Michele Debiasi Alberton

Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB), Departamento de Ciências Farmacêuticas. Departamento de Ciências Farmacêuticas, Campus III, Rua São Paulo, 2171, Itoupava Seca, CEP 89030-001, Blumenau, SC, Brasil.

https://orcid.org/0000-0003-3490-9936

Possui mestrado em Farmácia pela Universidade Federal de Santa Catarina (2001) e doutora em Química pela Universidade Federal de Santa Catarina (2008). Atualmente é professor titular da Fundação Universidade Regional de Blumenau. Tem experiência na área de Produtos Naturais, com ênfase em Fitoquímica e avaliação da atividade biológica. Atua no Programa de Pós-Graduação em Química e Programa de Pós-graduação em Biodiversidade da mesma instituição, como professora permanente. Foi coordenadora do Programa de Pós-graduação em Química da FURB durante dois mandatos (2019-2022). Atualmente, é a Pró-reitora de Pesquisa, Pós-Graduação, Extensão e Cultura da FURB, com mandato entre 2023-2026.

Daniela Delwing de Lima

Universidade da Região de Joinville, Universidade da Região de Joinville. Rua Paulo Malschitzki, 10, Zona Industrial Norte, CEP 89219-700, Joinville, SC, Brasil.

https://orcid.org/0000-0001-5335-5102

Graduada em Farmácia e com especialização em Análises Clínicas pela Universidade Luterana do Brasil. Mestrado e Doutorado em Ciências Biológicas (Bioquímica) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Atuou como docente universitária da Universidade de Frederico Westphalen - URI e da Universidade de Chapecó - UNOCHAPECÓ. Docente da graduação e orientadora/pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Saúde e Meio Ambiente da Universidade da Região de Joinville (UNIVILLE). Experiência na área de Farmácia e Bioquímica, atua na pesquisa científica com os temas: Erros Inatos do Metabolismo, doenças metabólicas, doenças/condições que acometem o Sistema Nervoso Central, dor, estresse oxidativo, comportamento, metabolismo energético e bioprospecção.

Eduardo Manoel Pereira

Universidade da Região de Joinville, Departamento de Farmácia. Rua Paulo Malchitzki 10, Bom Retiro, CEP 89219-710, Joinville, SC, Brasil

https://orcid.org/0000-0002-5734-626X

Graduado em Farmácia-Bioquímica pela Universidade Federal de Alfenas (2002) e Mestre em Farmacologia pela Universidade Federal do Paraná (2006). Professor da Universidade da Região de Joinville há 15 anos, responsável pelas disciplinas de Farmacologia Básica e Clínica no curso de Farmácia e de Farmacologia Clínica no curso de Medicina. Conduz linhas de pesquisa pré-clínicas sobre a ação de substâncias de origem natural em modelos de gastrite, dor, inflamação, diabetes e de estresse oxidativo em ratos e camundongos e clínicas sobre avaliação de erros de prescrição em instituições públicas e privadas e acompanhamento farmacoterapêutico. Professor da Residência Multiprofissional do Hospital Municipal São José de Joinville, das Pós-graduações em Oncologia Clínica e em Farmácia Clínica e Prescrição Farmacêutica da Universidade da Região de Joinville e da Pós-graduação em Farmácia Hospitalar do Hospital Santa Catarina de Blumenau. Membro do comitê de Ética em Pesquisa no Uso de Animais da Universidade da Região de Joinville. Graduando do terceiro ano de Psicologia na Universidade da Região de Joinville.


Palavras-chave

Eugenia brasiliensis
Fitomedicamentos
Fitoterapia
Gastrite
Úlcera gástrica
  • Resumo

    Úlceras gástricas são lesões no revestimento da mucosa gástrica que trazem como sintomas dor epigástrica e queimação, que são amenizados empiricamente por derivados extrativos de Eugenia brasiliensis Lam. (Myrtaceae). Contudo, não há estudos que avaliaram sistematicamente o seu potencial gastroprotetor. Assim, o objetivo do presente trabalho foi avaliar a eficácia de um extrato de Eugenia brasiliensis em reduzir lesões gástricas em ratas. Grupos de animais foram submetidos à lesão gástrica por etanol e indometacina após tratamento prévio com o extrato e à lesão por ácido acético seguida de seis dias de tratamento com o extrato. Houve redução da área de lesão induzida por etanol nas doses de 30 e 100 mg/Kg de extrato de 36 e 68%, respectivamente. Tratamento prévio com as doses de 30, 100 e 300 mg/Kg do extrato promoveu, respectivamente, inibição de 66%, 88% e 73% da área de lesão por indometacina e o extrato foi capaz de reduzir em 72% a área de lesão por ácido acético na dose de 100 mg/Kg. O extrato foi eficaz em reduzir a área de lesão nos três modelos, possivelmente devido à presença de polifenois anti-inflamatórios e antioxidantes, que podem reduzir o dano celular e a área de lesão gástrica.

  • Referências

    1. Tarnawski AS, Ahluwalia A. Molecular mechanisms of epithelial regeneration and neovascularization during healing of gastric and esophageal ulcers. Curr Med Chem. 2012; 19(1): 16-27. [https://doi.org/10.2174/092986712803414088].
    2. Fashner J, Gitu AC. Diagnosis and Treatment of Peptic Ulcer Disease and H. pylori Infection. Am Fam Physician. 2015; 91(4): 236-42. [access 2023 Feb 03]. Available from: [https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/25955624/].
    3. Cohen S, Mesquita MB, Mimouni FB. Adverse effects reported in the use of gastroesophageal reflux disease treatments in children: a 10 years literature review. Br J Clin Pharmacol. 2015; 80(2): 200-8.[ https://doi.org/10.1111/bcp.12619].
    4. Yibirin M, Oliveira D, Valera R, Plitt AE, Lutgen S. Adverse effects associated with proton pump inhibitor use. Cureus. 2021; 13(1):e12759. [access 2023 Feb 03]. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7887997/].
    5. Rameau A, Andreadis K, Bayoumi A, Kaufman M, Belafsky P. Side effects of proton pump inhibitors: what are patients’ concerns? J Voice. 2021; 35(5): 809e-15-20. [https://doi.org/10.1016/j.jvoice.2020.01.018].
    6. Infante J, Rosalen PL, Lazarini JG, Franchin M, Alencar SM de. Antioxidant and anti-inflammatory activities of unexplored brazilian native fruits. PLoS One. 2016; 11(4): e0152974. [https://doi.org/10.1371/journal.pone.0152974].
    7. Siebert DA, Bastos J, Spudeit DA, Micke GA, Alberton MD. Determination of phenolic profile by HPLC-ESI-MS/MS and anti-inflammatory activity of crude hydroalcoholic extract and ethyl acetate fraction from leaves of Eugenia brasiliensis. Rev Bras Farmacogn. 2017; 27(4): 459-65.[ https://doi.org/10.1016/j.bjp.2017.01.008].
    8. Dametto AC, Boralle N, Zhang C-R, Silva DHS, Nair MG. Leaves of Eugenia brasiliensis used as a folk medicine contain cyclooxygenase enzyme and lipid peroxidation inhibitory compounds. Nat Prod Commun. 2018; 13(8): 1934578X1801300. [https://doi.org/10.1177/1934578X1801300814].
    9. Simoes RR, Kraus SI, Coelho IS, Dal-Secco D, Siebert DA, Micke GA et al. Eugenia brasiliensis leaves extract attenuates visceral and somatic inflammatory pain in mice. J Ethnopharmacol. 2018; 217: 178-186. [https://doi.org/10.1016/j.jep.2018.02.026].
    10. Robert A, Nezamis JE, Lancaster C, Hanchar AJ. Cytoprotection by prostaglandins in rats. Prevention of gastric necrosis produced by alcohol, HCl, NaOH, hypertonic NaCl, and thermal injury. Gastroenterology. 1979; 77(3): 433-43. [access 2023 Feb 03]. Available from: [https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/456839/].
    11. Djahanguiri B. The production of acute gastric ulceration by indomethacin in the rat. Scand J Gastroenterol. 1969; 4(3): 265–7. [Access 2023 Feb 03]. Available from: [https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/5346672/].
    12. Okabe S, Roth JL, Pfeiffer CJ. A method for experimental, penetrating gastric and duodenal ulcers in rats. Observations on normal healing. Am J Dig Dis. 1971; 16(3): 277-84. [Access 2023 Feb 3]. Available from: [https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/5554507/].
    13. Hussein SA, El-Senosy YA, F. Hassan M. Gastro protective, antiapoptotic and anti-inflammatory effect of alpha-lipoic acid on ethanol induced gastric mucosal lesions in rats. Am J Biochem Mol Biol. 2014; 4(2): 48-63. [https://doi.org/10.3923/ajbmb.2014.48.63].
    14. Qin S, Huang K, Fang Z, Yin J, Dai R. The effect of Astragaloside IV on ethanol-induced gastric mucosal injury in rats: Involvement of inflammation. Int Immunopharmacol. 2017; 52:211–7. [access 2023 Feb 3]. Available from: [https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/28942222/].
    15. Pietrovski EF, Magina MDA, Gomig F, Pietrovski CF, Micke GA, Barcellos M et al. Topical anti-inflammatory activity of Eugenia brasiliensis Lam. (Myrtaceae) leaves. J Pharm Pharmacol. 2008; 60(4): 479-487. https://doi.org/10.1211/jpp.60.4.0011
    16. Farzaei MH. Role of dietary polyphenols in the management of peptic ulcer. World J Gastroenter. 2015; 21(21): 6499. Available from: [https://dx.doi.org/10.3748%2Fwjg.v21.i21.6499].
    17. Pérez S, Taléns-Visconti R, Rius-Pérez S, Finamor I, Sastre J. Redox signaling in the gastrointestinal tract. Free Radic Biol Med. 2017; 104: 75-103.
    18. El-Komy MM, Mouafi FE. Mitigating effect of Avicenna marina on indomethacin induced gastric ulcer in male albino rats. Egypt J Basic Appl Sci. 2016; 3(2): 155-63. [https://doi.org/10.1016/j.ejbas.2016.01.004].
    19. Jesus NZT, de Souza Falcão H, Gomes IF, Almeida Leite TJ, Morais Lima GR, Barbosa-Filho JM et al. Tannins, peptic ulcers and related mechanisms. Int J Mol Sci. 2012; 13(3): 3203–28. [access 2022 Nov 13]. Available from: [https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3317710/].
    20. Minozzo BR, Lemes BM, Justo A da S, Lara JE, Petry VEK, Fernandes D et al. Anti-ulcer mechanisms of polyphenols extract of Euphorbia umbellata (Pax) Bruyns (Euphorbiaceae). J Ethnopharmacol. 2016; 191: 29-40. [access 2023 Feb 3]. Available from: [https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/27301616/].
    21. Chiu H-F, Venkatakrishnan K, Golovinskaia O, Wang C-K. Gastroprotective Effects of polyphenols against various gastro-intestinal disorders: a mini-review with special focus on clinical evidence. Molecules. 2021; 26(7): 2090-2108. [https://doi.org/10.3390/molecules26072090].
    22. Okabe S, Amagase K, Takeuchi K. Acetic Acid Ulcer Model – State of the Art in 2012. Front Gastroint Res. 2012; 30:32-40. [access 2023 Feb 3]. Available from: [https://www.karger.com/Article/Abstract/338364]
    23. Mei X-T, Xu D-H, Xu S-K, Zheng Y-P, Xu S-B. Zinc(II)–curcumin accelerates the healing of acetic acid-induced chronic gastric ulcers in rats by decreasing oxidative stress and downregulation of matrix metalloproteinase-9. Food Chem Toxicol. 2013; 60: 448–54. [https://doi.org/10.1016/j.fct.2013.07.075].
    24. Faria FM, Almeida ACA, Luiz-Ferreira A, Dunder RJ, Takayama C, Silva MS et al. Mechanisms of action underlying the gastric antiulcer activity of the Rhizophora mangle L. J Ethnopharmacol. 2012; 139(1): 234-43. [access 2022 Nov 3]. Available from: [https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0378874111007987].
    25. Kandhare AD, Kumar VS, Adil M, Rajmane AR, Ghosh P, Bodhankar SL. Investigation of gastro protective activity of Xanthium strumarium L. by modulation of cellular and biochemical marker. Orient Pharm Exp Med. 2012; 12(4): 287-99. [https://doi.org/10.1007/s13596-012-0090-2].
    26. Magina MA, Gilioli A, Moresco HH, Colla G, Pizzolatti MG, Brighente IMC. Atividade antioxidante de três espécies de Eugenia (Myrtaceae). Lat Am J Pharm. 2010; 29(3): 376-382. [access 2023 Feb 3]. Available from: [http://sedici.unlp.edu.ar/handle/10915/7921].
    27. Agnihotri S, Wakode S, Agnihotri A. An overview on anti-inflammatory properties and chemo-profiles of plants used in traditional medicine. Indian J Nat Prod Resour. 2010; 1(2): 150-167.[https://nopr.niscpr.res.in/handle/123456789/9823].

Como citar

1.
Campos AJ, Mews MHR, Dal Magro DD, Alberton MD, de Lima DD, Pereira EM. Atividade gastroprotetora pré-clínica de um extrato de Eugenia brasiliensis Lam. (Myrtaceae) . Rev Fitos [Internet]. 20º de dezembro de 2023 [citado 3º de março de 2024];17(4):540-5. Disponível em: https://revistafitos.far.fiocruz.br/?journal=revista-fitos&page=article&op=view&path[]=1555

Autor(es)

  • Ana Júlia Campos
    Universidade da Região de Joinville, Universidade da Região de Joinville. Rua Paulo Malschitzki, 10, Zona Industrial Norte, CEP 89219-700, Joinville, SC, Brasil.
    https://orcid.org/0000-0002-7388-4359
  • Matheus Henrique Ruela Mews
    Universidade da Região de Joinville
    https://orcid.org/0000-0001-6314-8588
  • Debora Delwing Dal Magro
    Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB), Departamento de Ciências Farmacêuticas. Departamento de Ciências Farmacêuticas, Campus III, Rua São Paulo, 2171, Itoupava Seca, CEP 89030-001, Blumenau, SC, Brasil.
    https://orcid.org/0000-0003-4459-1562
  • Michele Debiasi Alberton
    Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB), Departamento de Ciências Farmacêuticas. Departamento de Ciências Farmacêuticas, Campus III, Rua São Paulo, 2171, Itoupava Seca, CEP 89030-001, Blumenau, SC, Brasil.
    https://orcid.org/0000-0003-3490-9936
  • Daniela Delwing de Lima
    Universidade da Região de Joinville, Universidade da Região de Joinville. Rua Paulo Malschitzki, 10, Zona Industrial Norte, CEP 89219-700, Joinville, SC, Brasil.
    https://orcid.org/0000-0001-5335-5102
  • Eduardo Manoel Pereira
    Universidade da Região de Joinville, Departamento de Farmácia. Rua Paulo Malchitzki 10, Bom Retiro, CEP 89219-710, Joinville, SC, Brasil
    https://orcid.org/0000-0002-5734-626X

Métricas

  • Artigo visto 54 vez(es)

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Citações


Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License. Copyright (c) 2023 Revista Fitos
Informe um erro