Bioprospecção de plantas medicinais com potencial anticancerígeno no Brasil: caracterização e métodos de extração

Isabela Cristina Porto Assumpção
Brunno Almeida de Carvalho e Silva
Marisa Fernandes Mendes

    Isabela Cristina Porto Assumpção

    Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Instituto de Tecnologia, Departamento de Tecnologia Química.Coordenação de Pós-Graduação em Engenharia Química, BR 465, Km 07, CEP 23890-000, Seropédica, RJ, Brasil.

     http://lattes.cnpq.br/6643917350619138

    Possui bacharelado em Engenharia Química pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, concluído em dez/2019. Atuou como bolsista de iniciação científica no Laboratório de Termodinâmica Aplicada e Biocombustíveis (LTAB), onde pesquisou sobre a Avaliação do fluido supercrítico na extração do óleo da seringueira e como pré-tratamento de enzimas. No período de jan/2019 a fev/2020 foi estagiária e, posteriormente, assistente de vendas internas na multinacional Ruhrpumpen, atuando no setor de Engenharia de Aplicação, tendo como principal função a elaboração de propostas técnico-comerciais e seleção de equipamentos hidráulicos. Atualmente é mestranda na UFRRJ, realizando pesquisa com extração de plantas medicinais brasileiras através de CO2 supercrítico e atua como desenvolvedora na empresa Flopo. 

    Brunno Almeida de Carvalho e Silva

    Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Instituto de Tecnologia, Departamento de Tecnologia Química.Coordenação de Pós-Graduação em Engenharia Química, BR 465, Km 07, CEP 23890-000, Seropédica, RJ, Brasil.

    http://lattes.cnpq.br/7450734576563323

    Possui ensino-medio-segundo-graupelo Colégio técnico da universidade federal rural do Rio de Janeiro(2017). Atualmente é Aluno de iniciação científica da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Tem experiência na área de Engenharia Química. 

    Marisa Fernandes Mendes

    Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Instituto de Tecnologia, Departamento de Tecnologia Química.Coordenação de Pós-Graduação em Engenharia Química, BR 465, Km 07, CEP 23890-000, Seropédica, RJ, Brasil.

    http://lattes.cnpq.br/3233683706295801

    possui graduação em Engenharia Química pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1995), mestrado em Engenharia Química pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1998) e doutorado em Engenharia Química pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2002). Atualmente é Professor Associado IV da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Desde 2019, é Coordenadora do Curso de Pós-Graduação em Engenharia Química e já atuou como chefe do Departamento de Engenharia Química de 2009 a 2013, como vice-coordenadora da pós-graduação em engenharia química de 2008 a 2009 e como vice-coordenadora do curso de graduação em engenharia química em 2014. Tem experiência na área de Engenharia Química, com ênfase em Termodinâmica, atuando principalmente nos seguintes temas: biocombustíveis, co2 supercrítico, extração supercrítica, modelagem termodinâmica, equilíbrio líquido-vapor e líquido-líquido e processos de separação envolvendo diferentes matrizes: petróleo, alimentos, biodiesel, álcool, etc. 


Palavras-chave

Fitoterápicos
Atividade antiproliferativa
Plantas medicinais
Extração supercrítica
Bioprospecção

Resumo

O câncer é um problema de saúde pública mundial e pesquisas têm apontado que o número de novos casos deve atingir 29,4 milhões até 2040. Além disso, o avanço desigual da doença causará maior impacto nos países de baixa e média renda. Nesse contexto, o avanço da doença associado aos efeitos adversos dos tratamentos empregados atualmente revela a urgência de avaliar métodos alternativos para combater o câncer. Com isso, o uso de plantas medicinais é desejável, por apresentarem menores contraindicações, graças ao baixo efeito antiproliferativo em tecidos saudáveis e elevada inibição para diversas linhagens tumorais. Sob a perspectiva brasileira, a bioprospecção de espécies vegetais é promissora, devido à elevada biodiversidade nacional. Com isso, o objetivo do presente trabalho foi de avaliar as vertentes da pesquisa na área de extração de compostos bioativos a partir de fontes vegetais, identificando as espécies, perfil fitoquímico e técnicas de extração mais utilizadas. Pode-se concluir que o uso de solventes orgânicos é massivo, o que prejudica o "scale-up" dos processos e pode inviabilizar o uso efetivo de fitoterápicos de plantas medicinais em escala industrial.

Referências

  1. World Health Organization. WHO report on cancer: setting priorities, investing wisely and providing care for all. World Health Organization. 2020; 149. [Link].
  2. Wild CP, Weiderpass E, Stewart BW. World cancer report: cancer research for cancer prevention. Inter Agen Res Cancer. 2020; 630. [Link].
  3. Souza MVN, Pinheiro AC, Ferreira ML, Gonçalves RSB, Lima CHC. Produtos Naturais em Fase Avançada de Testes Clínicos no Tratamento contra o Câncer Natural Products in Advance Clinical Trials Applied to Cancer. Rev Fitos. 2007; 3:25-42. [Link].
  4. Ferreira RG, Franco LFR. Efeitos colaterais decorrentes do tratamento quimioterápico no câncer de mama: Revisão bibliográfica. Rev Univ Val Rio Verde. 2017; 15(2):633-638. [CrossRef].
  5. Ijaz S, Akhtar N, Khan MS, Hameed A, Irfan M, Arshad MA et al. Plant derived anticancer agents: A green approach towards skin cancers. Biomed Pharmacoth. Elsevier. 2018; 103: 1643-1651. [CrossRef].
  6. Majolo F, Delwing LKOB, Marmitt DJ, Bustamante-Filho IC, Goettert MI. Medicinal plants and bioactive natural compounds for cancer treatment: Important advances for drug discovery. Phytochem Lett. 2019; 31: 196-207. [CrossRef].
  7. Almeida MZ. Plantas medicinais: abordagem histórico-contemporânea. Plantas medicinais: abordagem histórico-contemporânea. 3ª Ed. EDUFBA. 2011; 34-66. [Link].
  8. Newman DJ, Cragg GM. Natural Products as Sources of New Drugs from 1981 to 2014. J Nat Prod. 2016; 79(3): 629-661. [CrossRef].
  9. Brasil. Ministério da Saúde. Política e Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Departamento de Assistência Farmacêutica - Brasília: Ministério da Saúde. 2016; 190. [Link].
  10. Elisabetsky E, Shanley P. Ethnopharmacology in the Brazilian Amazon. Pharmacol Therap. 1994; 64(2): 201-214. [CrossRef].
  11. Žitek T, Dariš B, Finšgar M, Knez Ž, Bjelić D, Hrnčič MK. The Effect of Polyphenolics in Extracts from Natural Materials on Metabolic Activity of Metastatic Melanoma WM-266-4 Cells Appl Sci. 2020; 10(10): 3499. [CrossRef].
  12. Handa SS, Khanuja SPS, Longo G, Rakesh DD. Extraction Technologies for Medicinal and Aromatic Plants. Int Cent Sci High Technol. 2008. [Link].
  13. Haloui I, Meniai AH. Supercritical CO2 extraction of essential oil from Algerian Argan (Argania spinosa L.) seeds and yield optimization. Int J Hydrogen Energy. 2017; 42(17): 12912-12919. [CrossRef].
  14. Gomes DB, Zanchet B, Locateli G, Benvenutti RC, Vechia CAD, Schönell AP et al. Antiproliferative potential of solidagenone isolated of Solidago chilensis. Rev Bras Farmacogn. 2018; 28(6): 703-709. [CrossRef].
  15. Costa AR, Silva JRL, Oliveira TJS, Silva TG, Pereira PS, Borba EFO et al. Phytochemical profile of Anacardium occidentale L. (cashew tree) and the cytotoxic and toxicological evaluation of its bark and leaf extracts. South African J Bot. 2020; 135: 355-364. [CrossRef].
  16. Cunha GOS, Silva DM, Santos ML, Moraes Filho MO, Pessoa CO, Guimarães CJ et al. Chemical constituents and cytotoxic activity of Miconia burchellii Triana (Melastomataceae) leaves. South African J Bot. 2021; 137:345–350. [CrossRef].
  17. Vuolo MM, Batista AG, Biasoto ACT, Correa LC, Maróstica Júnior MR, Liu RH. Red-jambo peel extract shows antiproliferative activity against HepG2 human hepatoma cells. Food Res Int. 2019; 124: 93-100. [CrossRef] [PubMed].
  18. Silva MCBL, Bogo D, Alexandrino CAF, Perdomo RT, Figueiredo PO, Prado PR et al. Antiproliferative activity of extracts of Campomanesia adamantium (Cambess.) O. Berg and Isolated Compound Dimethylchalcone Against B16-F10 Murine Melanoma. J Med Food. 2018; 21(10): 1024-1034. [CrossRef] [PubMed].
  19. Rosales PF, Gower A, Benitez MLR, Pacheco BS, Segatto NV, Roesch-Ely M et al. Extraction, isolation and in vitro evaluation of affinisine from Tabernaemontana catharinensis in human melanoma cells. Bioorg Chem. 2019; 90: 103079. [CrossRef] [PubMed].
  20. Willig JB, Salomón JLDO, Vianna DRB, Moura S, Pilger DA, Buffon A et al. Heliopsis longipes S.F. Blake (Asteraceae) extract causes cell cycle arrest and induces caspase dependent apoptosis against cancer cell lines. South African J Bot. 2019; 125: 251–260. [CrossRef].
  21. Prado LG, Arruda HS, Araujo NMP, Braga LEO, Banzato TP, Pereira GA et al. Antioxidant, antiproliferative and healing properties of araticum (Annona crassiflora Mart.) peel and seed. Food Res Int. 2020; 133: 109168. [CrossRef] [PubMed].
  22. Nascimento KF, Moreira FMF, Santos JÁ, Kassuya CAL, Croda JHR, Cardoso CAL et al. Antioxidant, anti-inflammatory, antiproliferative and antimycobacterial activities of the essential oil of Psidium guineense Sw. and spathulenol. J Ethnopharmacol. 2018; 210:351-358. [CrossRef] [PubMed].
  23. Pereira RM, Ferreira-Silva GA, Pivatto M, Santos LA, Bolzani VS, Paula DAC et al. Alkaloids derived from flowers of Senna spectabilis, (-)-cassine and (-)-spectaline, have antiproliferative activity on HepG2 cells for inducing cell cycle arrest in G1/S transition through ERK inactivation and downregulation of cyclin D1 expression. Toxicol Vitr. 2016; 31: 86-92. [CrossRef] [PubMed].
  24. Grinevicius VMAS, Andrade KS, Ourique F, Micke GA, Ferreira SRS, Pedrosa RC. Antitumor activity of conventional and supercritical extracts from Piper nigrum L. cultivar Bragantina through cell cycle arrest and apoptosis induction. J Supercrit Fluids. 2017; 128: 94-101. [CrossRef].
  25. Silva BG, Fileti AMF, Foglio MA, Ruiz ALTG, Rosa PTV. Supercritical carbon dioxide extraction of compounds from Schinus terebinthifolius Raddi fruits: Effects of operating conditions on global yield, volatile compounds, and antiproliferative activity against human tumor cell lines. J Supercrit Fluids. 2017; 130:10-16. [CrossRef].

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Autor(es)

  • Isabela Cristina Porto Assumpção
    Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Instituto de Tecnologia, Departamento de Tecnologia Química.Coordenação de Pós-Graduação em Engenharia Química, BR 465, Km 07, CEP 23890-000, Seropédica, RJ, Brasil.
  • Brunno Almeida de Carvalho e Silva
    Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Instituto de Tecnologia, Departamento de Tecnologia Química.Coordenação de Pós-Graduação em Engenharia Química, BR 465, Km 07, CEP 23890-000, Seropédica, RJ, Brasil.
  • Marisa Fernandes Mendes
    Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Instituto de Tecnologia, Departamento de Tecnologia Química.Coordenação de Pós-Graduação em Engenharia Química, BR 465, Km 07, CEP 23890-000, Seropédica, RJ, Brasil.

Categorias

Métricas

  • Artigo visto 782 vez(es)

Como Citar

1.
Bioprospecção de plantas medicinais com potencial anticancerígeno no Brasil: caracterização e métodos de extração. Rev Fitos [Internet]. 4º de março de 2022 [citado 14º de julho de 2024];16(Supl. 2):156-75. Disponível em: https://revistafitos.far.fiocruz.br/index.php/revista-fitos/article/view/1251

1. DIREITOS CEDIDOS - A cessão total não exclusiva, permanente e irrevogável dos direitos autorais patrimoniais não comerciais de utilização de que trata este documento inclui, exemplificativamente, os direitos de disponibilização e comunicação pública da OBRA, em qualquer meio ou veículo, inclusive em Repositórios Digitais, bem como os direitos de reprodução, exibição, execução, declamação, recitação, exposição, arquivamento, inclusão em banco de dados, preservação, difusão, distribuição, divulgação, empréstimo, tradução, dublagem, legendagem, inclusão em novas obras ou coletâneas, reutilização, edição, produção de material didático e cursos ou qualquer forma de utilização não comercial.

2. AUTORIZAÇÃO A TERCEIROS - A cessão aqui especificada concede à FIOCRUZ - FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ o direito de autorizar qualquer pessoa – física ou jurídica, pública ou privada, nacional ou estrangeira – a acessar e utilizar amplamente a OBRA, sem exclusividade, para quaisquer finalidades não comerciais, nos termos deste instrumento.

3. USOS NÃO COMERCIAIS - Usos não comerciais são aqueles em que a OBRA é disponibilizada gratuitamente, sem cobrança ao usuário e sem intuito de lucro direto por parte daquele que a disponibiliza e utiliza.

4. NÃO EXCLUSIVIDADE - A não exclusividade dos direitos cedidos significa que tanto o AUTOR como a FIOCRUZ - FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ ou seus autorizados poderão exercê-los individualmente de forma independente de autorização ou comunicação, prévia ou futura.

5. DIREITOS RESERVADOS - São reservados exclusivamente ao(s) AUTOR(es) os direitos morais sobre as obras de sua autoria e/ou titularidade, sendo os terceiros usuários responsáveis pela atribuição de autoria e manutenção da integridade da OBRA em qualquer utilização. Ficam reservados exclusivamente ao(s) AUTOR(es) e/ou TITULAR(es) os usos comerciais da OBRA incluída no âmbito deste instrumento.

6. AUTORIA E TITULARIDADE - O AUTOR declara ainda que a obra é criação original própria e inédita, responsabilizando-se integralmente pelo conteúdo e outros elementos que fazem parte da OBRA, inclusive os direitos de voz e imagem vinculados à OBRA, obrigando-se a indenizar terceiros por danos, bem como indenizar e ressarcir a FIOCRUZ - FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ de eventuais despesas que vierem a suportar, em razão de qualquer ofensa a direitos autorais ou direitos de voz ou imagem, principalmente no que diz respeito a plágio e violações de direitos.

7. GRATUIDADE - A cessão e autorização dos direitos indicados e estabelecidos neste Instrumento será gratuita, não sendo devida qualquer remuneração, a qualquer título, ao autor e/ou titular, a qualquer tempo.

Informe um erro