Uso tradicional terapêutico de espécies pertencentes ao gênero vegetal Eucharis Planchon & Linden (Amaryllidaceae)

Ribeiro, M C M;
Junior, , H. L.

Maria Cristina Marcucci Ribeiro

Laboratório de Produtos Naturais e Quimiometria do Programa de Pós-graduação em Farmácia da UNIAN-SP Universidade Anhanguera de São Paulo – SP Brasil. Avenida Raimundo Pereira de Magalhães, 3305 – Centro Pirituba – São Paulo – CEP:05145-200, Fone/Fax: 00 55 11 3512-8413

Aluno de Programa de Metrado Profissional em Farmácia da Universidade Anhanguera de São Paulo. Docente do mesmo programa, especialista em controle de qualidade e validação de métodos analíticos aplicados a plantas medicinais, fitoterápicos e apiterápicos.

Hilton Lopes Junior


Palavras-chave

Plantas medicinais. Medicina tradicional. Atividade terapêutica. Alcaloides isoquinolinicos.

Resumo

O uso de espécies vegetais para o tratamento ou prevenção de doenças é muito empregado por populações nativas e tradicionais. Muitas vezes este conhecimento fica restrito ou perdido com o passar das gerações, ou em outros casos, o uso indiscriminado pode ocasionar efeitos colaterais. Espécies do gênero Eucharis, pertencentes a família Amaryllidaceae são plantas endêmicas do continente Americano e comumente utilizadas na medicina popular como plantas medicinais, principalmente na região Andina e Amazônica. O uso tradicional de espécies deste gênero botânico é atribuído à presença de um grupo químico encontrado principalmente em espécies vegetais, conhecido como alcaloides, que podem possuir vasta ação terapêutica ou alta toxicidade. Os alcaloides, pertencentes ao gênero Eucharis, são classificados como isoquinolínicos e, podemos destacar a presença de 5 núcleos base: a licorina, narciclasina, hemantamina, tazetina e galantamina. A ação terapêutica deste gênero vegetal é devido a presença dos alcaloides, cujos estudos apresentam, em destaque, ações: anti-inflamatória, emética e antitumoral, demonstrando a sua eficácia terapêutica. Contudo, deve-se salientar que os alcaloides também possuem elevada toxicidade, e se utilizados indiscriminadamente podem levar a ações adversas no organismo.