Unidade familiar agroecológica em Arraial D’Ajuda: uma experiência com plantas alimentícias não convencionais

Barbosa, D C d F;
Lopes, P R;
Lopes, , K. C. S. d. A.

Danielle Cristine de Figueiredo Barbosa

Universidade do Estado da Bahia (UNEB), Campus X, Teixeira de Freitas-BA, Av. Kaikan, s/n, Jardim Caraípe, CEP 45990782 Teixeira de Freitas, BA, Brasil.

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado de Mato Grosso-UNEMAT (2007), efetuou estudos florísticos na mata alagável dos rios Paraguai e Cabaçal, município de Cáceres, Pantanal mato-grossense. Mestre em Ciências Ambientais-UNEMAT (2009), realizou estudos sobre a estrutura e composição florística de fragmentos naturais de florestas inundáveis (impucas) no Parque Estadual do Araguaia-MT em área de Transição Cerrado-Floresta Amazônica. Atualmente: Professora Assistente do Colegiado de Ciências Biológicas e Coordenadora do Laboratório de Botânica, Departamento de Educação da Universidade do Estado da Bahia, Campus X - Teixeira de Freitas, onde desenvolve pesquisas sobre Estrutura e composição florística de comunidade lenhosa na Mata Atlântica; pós-graduanda vinculada ao Doutorado em Biodiversidade e Biotecnologia da Amazônia Legal - Rede BIONORTE.

Paulo Rogério Lopes

Universidade Federal do Paraná, Setor Litoral. Rua Jaguariaíva, n. 512, Gabinete 2 (Agroecologia), Caiobá, CEP 83260-000, Matinhos, PR, Brasil.

Pós-Doutor em Recursos Florestais pela ESALQ-USP. Doutor em Ciências pela USP (ESALQ) na área de concentração manejo e avaliação de agroecossistemas/ conservação da biodiversidade, com tese defendida sobre agricultura de base ecológica, sanidade vegetal e transição agroecológicas em áreas de assentamentos rurais na região do Pontal do Paranapanema/SP. Mestre em Agroecologia e Desenvolvimento Rural pela Universidade Federal de São Carlos e Embrapa Meio Ambiente, com projeto desenvolvido no enfoque de estudos fitosanitários em unidades produtivas familiares (cafeeiras) no Sul de Minas Gerais. Especialista em Educação do Campo e Agroecologia na Agricultura Familiar e Camponesa - RESIDÊNCIA AGRÁRIA (UNICAMP- FEAGRI). Possui graduação em CIÊNCIAS BIOLÓGICAS e AGRONOMIA. Atuou como educador do curso de Agronomia com ênfase em Agroecologia e sistemas rurais sustentáveis (PRONERA - INCRA/MST/OMAQUESP/FAFI/FERAESP), pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar - Campus Sorocaba. Orientou o trabalho de conclusão de curso de 26 de estudantes assentados da reforma agrária do curso de agronomia com ênfase em Agroecologia. Atua em projetos de pesquisa, ensino e comunicação rural agroecológica em áreas de assentamentos rurais da região Extremo Sul da Bahia e do Pontal do Paranapanema na condição de pesquisador/extensionista do NACE-PTECA (ESALQ-USP). Atua junto ao movimento social dos trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) nos projetos educativos e agroecológicos da Escola Popular de Agroecologia e Agrofloresta Egídio Brunetto, em Prado/BA. Atualmente é coordenador técnico-científico do Projeto Assentamentos Agroecológicos no Extremo Sul da Bahia. Educador da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Setor Litoral.

Keila Cássia Santos de Araújo Lopes

Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP), Campus Rio Claro, Avenida 24 A,1515, CEP 13506-900, Rio Claro, SP, Brasil.


Palavras-chave

Unidade produtiva camponesa. Agricultura sustentável. Plantas alimentícias. Plantas medicinais.

Resumo

A presente pesquisa teve como objetivo levantar dados sobre as plantas convencionais e não convencionais com potencial alimentício e/ou medicinal cultivadas em uma unidade produtiva agroecológica no Distrito de Arraial D’Ajuda, Porto Seguro/BA, visando conhecer os métodos e práticas de manejo. Em de agosto de 2017 foram realizadas visitas à unidade produtiva que se localizada nas seguintes coordenadas geográficas: 16º26’49.2” S e 39º09’53.4” W. Para obtenção dos dados foi realizada entrevista semi-estruturada, caminhada transversal (diálogo e caminhada pelo agroecossistema), utilização de diário de campo, tabelas, pranchetas e máquina fotográfica, para registros e gravações. A agricultora possui a unidade produtiva desde 1995, comercializa alimentos agroecológicos, realiza atividades voluntárias e desenvolve outras atividades como complementação de renda. Ela cultiva plantas alimentícias e outras para fins medicinais e todas são para consumo próprio e comercialização. Todos os insumos usados na unidade produtiva são naturais e produzidos internamente, usa método de pousio, consórcio de culturas, capina manual e pulverização com adubos orgânicos. A agricultora citou 68 plantas produzidas na unidade agroecológica, dessas, 37 são plantas convencionais e 20 plantas alimentícias não convencionais, 50 com uso alimentício, 34 medicinais e 2 para fins inseticidas ou repelentes naturais.


Referências

  1. ALTIERI, M. Agroecologia: bases científicas para uma agricultura sustentável. 3º ed., São Paulo, Rio de Janeiro: Expressão Popular, 2012, 400 p.
  2. KINUPP, V. F.; BARROS, I. B. I. Riqueza de Plantas Alimentícias Não-convencionais na Região Metropolitana de Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Biociências, Porto Alegre, v. 5, supl. 1, p. 63-65, jul. 2007.
  3. KINUPP, V. F.; BARROS, I. B. I. Teores de proteína e minerais de espécies nativas, potenciais hortaliças e frutas. Ciênc. Tecnol. Aliment., Campinas, v. 28, n. 4, 846-857, out.-dez. 2008.
  4. KINUPP, V. F. Plantas alimentícias não-convencionais da região metropolitana de Porto Alegre, RS. 2007. 562 p. Tese (Doutorado em Fitotecnia) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, 2007.
  5. LOPES, P. R.; LOPES, K. C. S. A. Sistemas de produção de base ecológica – a busca por um desenvolvimento rural sustentável. Revista Espaço de Diálogo e Desconexão, Araraquara, v. 4, n. 1, jul/dez. 2011.
  6. PRIMAVESI, A. Manual do solo vivo: solo sadio, planta sadia, ser humano sadio. 2º ed. São Paulo: Expressão Popular, 2016. 205 p.
  7. VERDEJO, M. E. Diagnóstico rural participativo: guia prático DRP. Brasília: MDA / Secretaria da Agricultura Familiar, 2010, 65 p.
  8. VIEIRA, D. F. A. et al. Catálogo brasileiro de hortaliças - Saiba como plantar e aproveitar 50 das espécies mais comercializadas no País. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), 2010.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)