Efeito alelopático do extrato aquoso de folhas e caule de girassol sobre a germinação de milho e sorgo

Ribeiro, J P O;
Vasconcelos, G M P d V e;
Ribeiro, A C O;
Bertolino, K M;
Parrella, N N L D;
Silva, , A. F. d.

João Paulo Oliveira Ribeiro

Universidade Federal de Viçosa (UFV), Programa de Pós-Graduação em Fitotecnia, Departamento de Fitotecnia, Campus Universitário. Avenida Peter Henry Rolfs, s/n, CEP 36570-900, Viçosa, MG, Brasil.

Engenheiro Agrônomo pela Universidade Federal de São João del - Rei, campus Sete Lagoas (UFSJ - CSL). Mestrando em Fitotecnia (Produção Vegetal) pela UFV - Universidade Federal de Viçosa, Minas Gerais, Brasil. Desenvolveu na graduação trabalhos de iniciação cientifica, nas áreas de Anatomia Vegetal, com enfoque em estruturas secretoras (coléteres) em Myrtaceae do cerrado e com anatomia e histoquímica de sementes de Cratylia argentea - Fabaceae; Geoprocessamento (Embrapa Milho e Sorgo) e; Tecnologia e Produção de Sementes com maturação de sementes de sorgo sacarino. Além de estudos com anatomia de órgãos vegetativos de espécies representantes das famílias Orchidaceae e Myrtaceae; Efeito alelopático de plantas na germinação de sementes de espécies agrícolas. De 2015 à 2017 foi membro e representante discente da comissão organizadora do curso de Engenharia Agronômica na Semana Acadêmica dos cursos de Engenharia Agronômica, de Alimentos, Florestal e Bacharelado Interdisciplinar em Biossistemas - SEACAD. No mestrado vem atuando na área de Tecnologia de Sementes em estudos com ênfase em germinação, vigor, padronização de testes de vigor, armazenamento, qualidade fisiológica de sementes, dessecação em pré-colheita de sementes e uso de análise de imagens raios-X em sementes.

Gustavo Maldini Penna de Valadares e Vasconcelos

Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), Departamento de Ciências Agrárias. Campus Sete Lagoas, Rodovia MG 424 – Km 47, CEP 35701-970, Caixa Postal: 56, Sete Lagoas, MG, Brasil

Graduado no curso de Engenharia Agronômica e Bacharelado Interdisciplinar em Biossistemas na Universidade Federal de São João del-Rei. Atualmente é mestrando em Fitotecnia, com ênfase em plantio direto pela Universidade Federal de Lavras. Realizou estágio de complementação educacional no Núcleo de Pesquisa em Fitossanidade - NFIT, na Embrapa Milho e Sorgo (2011-2013) atuando na área de manejo integrado de plantas daninhas sob orientação do pesquisador Décio Karam. Foi monitor da disciplina de Anatomia e Organografia Vegetal (2013). Participou do Programa de Mobilidade Estudantil -Ciência sem Fronteiras na Universidade de Wisconsin, EUA (2014-2015), realizou estágio de complementação educacional na empresa Bailey Nurseries, atuando na área de irrigação, adubação, produção e logística. Participou das atividades da EJAGRO - Empresa Junior de Agronomia (2013/2014). Atualmente esta realizando o estágio obrigatório na Embrapa Milho e Sorgo aonde acompanha experimentos relacionados à dose resposta em diferentes estádios de desenvolvimento de plantas daninhas (2016). Participa do grupo de estudos em Fitotecnia -GEFIT, na Universidade Federal de São João Del Rei.

Ana Carolina Oliveira Ribeiro

Universidade Federal de Lavras (UFLA), Departamento de Zootecnia, Campus UFLA. Caixa Postal 3037, CEP 37200-000, Lavras, MG, Brasil

Karina Mendes Bertolino

Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), Departamento de Ciências Agrárias. Campus Sete Lagoas, Rodovia MG 424 – Km 47, CEP 35701-970, Caixa Postal: 56, Sete Lagoas, MG, Brasil

Mestranda em Agronomia/Fitotecnia pela Universidade Federal de Lavras com previsão de conclusão para 2018. Possui graduação em Engenharia Agronômica (2017) e Bacharelado Interdisciplinar em Biossistemas (2015) pela Universidade Federal de São João del Rei. Realizou estágio de complementação educacional no Núcleo de Desenvolvimento de Sistemas de Produção - NDSP, na Embrapa Milho e Sorgo (2011-2013), atuando na área de fitotecnia; foi monitora da disciplina de Anatomia e Organografia Vegetal (2013); bolsista de iniciação científica pelo CNPq, atuando na área de Anatomia Vegetal; participou do Programa de Mobilidade Estudantil -Ciência sem Fronteiras (CAPES)- Kansas State University, EUA (2014-2015); realizou estágio de complementação educacional no departamento de agronomia- Kansas State University, atuando no programa genético de sorgo; realizou estágio obrigatório na empresa Agropéu Agro Industrial de Pompéu S/A onde acompanhou todos os processos de preparo do solo, manejo e colheita da cana-de-açúcar (2016). Atuou como estagiária voluntária do laboratório de solos II (Física do Solo e Conservação da Água e do Solo) e participou do grupo de estudos em Fitotecnia -GEFIT, na Universidade Federal de São João Del Rei (2015-2016).

Nádia Nardely Lacerda Durães Parrella

Universidade Federal de Viçosa (UFV), Programa de Pós-Graduação em Fitotecnia, Departamento de Fitotecnia, Campus Universitário. Avenida Peter Henry Rolfs, s/n, CEP 36570-900, Viçosa, MG, Brasil

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Estadual de Montes Claros/MG (2003), mestrado em Agronomia (Genética e Melhoramento de Plantas) pela Universidade Federal de Lavras (2006) e doutorado em Agronomia (Fitotecnia) pela Universidade Federal de Lavras (2009). Foi professora substituta na UFVJM das disciplinas de Biologia Molecular, Genética e Processos Evolutivos no curso de Ciências Biológicas e das disciplinas de Produção de Sementes e Sementes Florestais nos cursos de Agronomia e Engenharia Florestal. Pesquisadora da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais/ EPAMIG até abril de 2013. Atualmente é professora efetiva da Universidade Federal de São João del Rei/UFSJ, campus Sete Lagoas. Responsável pelas disciplinas de Melhoramento Genético Vegetal e Produção e Tecnologia de Sementes.

Amilton Ferreira da Silva

Universidade Federal de Viçosa (UFV), Programa de Pós-Graduação em Fitotecnia, Departamento de Fitotecnia, Campus Universitário. Avenida Peter Henry Rolfs, s/n, CEP 36570-900, Viçosa, MG, Brasil

Engenheiro Agrônomo, Doutor em Fitotecnia pela Universidade Federal de Viçosa - UFV e Mestrado em Agronomia - Sistemas de Produção, pela Universidade Estadual Paulista - UNESP. Possui experiência no manejo de grandes culturas,melhoramento genético da soja e manejo de plantas daninhas. Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal de São João Del Rei, Campus de Sete Lagoas - MG, onde ministra as disciplinas de Culturas da soja e do feijão, Café e Algodão e Biologia e Manejo de plantas daninhas.


Palavras-chave

Girassol. Alelopatia. Vigor. Sementes. Milho. Sorgo.

Resumo

O girassol apresenta efeito alelopático sobre outras espécies vegetais, inibindo o crescimento dos mesmos. Caule e folhas foram coletados no campo experimental da UFSJ, campus Sete Lagoas. Foram secos em estufa a 60°C por 88 horas, triturados com 1 litro de água destilada resultando no extrato bruto de 100%, do qual foram realizadas as diluições de 75%, 50%, 25%, sendo a água destilada utilizada como testemunha. O teste foi realizado em Papel Germitest, com 4 repetições de 25 sementes do Híbrido BRS – 1060 (milho) e BRS – 506 (sorgo). Foram acondicionadas em BOD com temperatura constante de 25°C. As contagens foram realizadas aos quatro dias e aos dez dias. O delineamento experimental utilizado foi DIC, em esquema fatorial 2x5, os resultados foram submetidos ao teste de Tukey a 5% de significância. Extratos aquosos obtidos a partir de folhas de girassol afetaram negativamente o vigor das sementes de milho, no entanto, não houve diferença significativa quanto a germinação das sementes submetidas a extratos obtidos de folhas e caule de girassol nas diferentes concentrações. Já para as sementes de sorgo, foi possível verificar que extratos aquosos de folhas, em concentrações acima de 25% afetam negativamente a germinação e vigor das sementes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)