Fitoterapia na prática clínica odontológica: produtos de origem vegetal e fitoterápicos

Monteiro, M H D A;
Fraga, , S. A. P. M.

Maria Helena Duraes Alves Monteiro

Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Instituto de Tecnologia em Fármacos-Farmanguinhos, Centro de Inovação em Biodiversidade e Saúde (CIBS). Avenida Comandate Guaranys, 447, prédio 10, Jacarepaguá, CEP 22775-903, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

https://orcid.org/0000-0001-7434-5544

Conceito CAPES 4. Doutora em Ciências Biológicas (Botânica), Museu Nacional, UFRJ. Desenvolve trabalhos com ênfase em Plantas Medicinais (farmacologia, toxicologia), Anatomia Vegetal e Taxonomia (Sapotaceae) e em Odontologia, participa de projetos sobre o uso das plantas medicinais e fitoterápicos como recursos terapêuticos.

Sandra Aparecida Padilha Magalhães Fraga

Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Instituto de Tecnologia em Fármacos-Farmanguinhos, Estrada Rodrigues Caldas, 3400, Curicica, CEP 22713-731, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Doutora em Ecologia,Conservação e Manejo da Vida Silvestre (Universidade Federal de Minas Gerais, 2002), Mestre em Biologia (Universidade do Estado do Rio de Janeiro,1998), e Graduada em Ciências Biológicas (Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 1992). Atualmente trabalha na Vice Presidência de Ambiente, Atenção e Promoção da Saúde/Fundação Oswaldo Cruz. Tem experiência na área de gestão de projetos, atuando principalmente nos seguintes temas de Ambiente, Saúde e Sustentabilidade: Agroecologia e saúde, plantas medicinais e desenvolvimento sustentável, produtos da sociobiodiversidade e agrobiodiversidade, diálogo entre saberes populares, tradicionais e ciência, educação popular em saúde e ambiente.


Palavras-chave

Odontologia
Plantas Medicinais
Saúde Bucal
Fitoterapia
Dentistry
Medicinal plants
Oral health
Phytotherapy

Resumo

A Fitoterapia é uma das práticas que fazem parte da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC), do Ministério da Saúde do Brasil, fazendo parte da Atenção Básica do Sistema Único de Saúde (SUS), inclusive para a Odontologia. Assim, o objetivo geral do presente trabalho foi sistematizar os principais produtos de origem vegetal com potencial terapêutico para a Odontologia, através da revisão integrativa de documentos oficiais (monografias de farmacopeias) e artigos disponíveis nas bases de dados indexadas. No total foram relacionadas 24 espécies vegetais em 35 preparações e cinco especialidades farmacêuticas, distribuídas pelas classes terapêuticas - anestésico tópico, ansiolítico, antifúngico, anti-inflamatório, antisséptico bucal, antiviral, hemostático, hidratante/protetor epidérmico e outros. Apesar das dificuldades da incorporação da Fitoterapia na prática clínica, a pesquisa, desenvolvimento e inovação, ampliam as possibilidades terapêuticas para a população, com a vantagem de apresentar baixo custo no processo de promoção da saúde, condizente com o momento atual da humanização da relação profissional/paciente, tanto nas políticas públicas quanto nas ações sociais.


Referências

  1. Calixto JB. Biodiversidade como fonte de medicamentos. Ciên Cult. [online] 2003; 55(3): 37-39. [Link]. Acesso em: 10 jan. 2020.
  2. Rates SMK. Plants as source of drugs. Toxicon. 2001: 39(N): 603-613. ISSN 0041-0101. [CrossRef] [PubMed]. Acesso em: 10 jan. 2020.
  3. Brasil. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS - PNPIC-SUS. Brasília, DF: MS. 2006. 92 p. (Série B. Textos Básicos de Saúde). [Link]. Acesso em: 29 jan. 2020.
  4. Brasil. Ministério da Saúde. Portaria n.º 971, de 03 de maio de 2006. Aprova a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no Sistema Único de Saúde. Diário Oficial [da República Federativa do Brasil]. Brasília, DF: MS. [Link]. Acesso em: 29 jan. 2020.
  5. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Departamento de Assistência Farmacêutica. Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos. Brasília. DF: MS. 2006. 60 p. (Série B, Textos Básicos de Saúde). [Link]. Acesso em: 29 jan. 2020.
  6. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos. Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos. Brasília, DF: MS. 2009. 136 p. il. (Série C. Projetos, Programas e Relatórios). [Link].
  7. Conselho Federal de odontologia (CFO). Resolução nº 82, de 19 de setembro de 2008. Reconhece e regulamenta o uso pelo cirurgião-dentista de práticas integrativas e complementares à saúde bucal. 2008. [Link]. Acesso em: 10 Jun. 2013.
  8. World Health Organization/UNICEF. Primary health care: report of the International Conference on Primary Health Care, Alma-Ata, URSS. Geneva, Switzerland: 1978. 61 p. [Link].
  9. World Health Organization (WHO). WHO traditional medicine strategy: 2014-2023. Geneva, Switzerland: 2013. 72 p. [Link].
  10. Farmacopeia dos Estados Unidos do Brasil. 1ª ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional. 1929.
  11. Farmacopeia dos Estados Unidos do Brasil. 2ª ed. São Paulo: Indústria Gráfica Siqueira. 1959.
  12. Farmacopeia Brasileira. 3ª ed. São Paulo: Organização Andrei. 1977. ISBN: 85-7476-068-4.
  13. Farmacopeia Brasileira. 4ª ed. [livro online]. São Paulo: Atheneu. 1988-1996. [Link].
  14. BRASIL. Ministério da Saúde, Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA. Formulário de Fitoterápicos da Farmacopeia Brasileira. Brasília, DF: MS. 2011. 126p. [Link].
  15. Brasil. Ministério da Saúde, Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA. Formulário de Fitoterápicos da Farmacopeia Brasileira. 1º Suplemento. Brasília, DF: MS. 2018. 160p. [Link].
  16. World Health Organization. WHO monographs on selected medicinal plants. Geneva, Switzerland: World Health Organization. 1999. Vol. 1. 295 p. [Link].
  17. World Health Organization (WHO). WHO monographs on selected medicinal plants. Geneva, Switzerland: World Health Organization. 2004. Vol. 2. 358 p.
  18. World Health Organization (WHO). WHO monographs on selected medicinal plants. Geneva, Switzerland: World Health Organization. 2007. Vol. 3. 390 p.
  19. World Health Organization (WHO). WHO monographs on selected medicinal plants. Geneva, Switzerland: World Health Organization. 2009. Vol. 4. 456 p.
  20. Farmacopeia Portuguesa VIII. Lisboa: Ministério da Saúde, Infarmed; 2005.
  21. Blumenthal M, Busse WR, Goldberg A, Gruenwald J, Hall T, Riggins CW et al. (eds.). The Complete Commission E Monographs: Therapeutic Guide to Herbal Medicines. 1st edition. Boston, MA: American Botanical Council. 1998. 684 p. ISBN: 096555550X.
  22. Blumenthal M, Goldberg A, Brinckmann J. (eds.). Expanded Commission E Monographs. Newton, MA: American Botanical Council. Integrative Medicine Communications. 2000. 519 p. ISBN 0967077214.
  23. ESCOP - European Scientific Cooperative on Phytotherapy. Monographs on the medicinal uses of plant drugs. 1996. ISBN: 1901964019 (fasc. 2); 1901964035 (fasc. 4); 1901964043 (fasc. 5); 1901964051 (binder); 1901964027 (fasc. 3); 1901964000 (fasc. 1); 190196406X (fasc. 6)
  24. ESCOP - European Scientific Cooperative on Phytotherapy. Monographs on the medicinal uses of plant drugs. 2003.
  25. Gruenwald J, Brendler T, Jaenicke C. PDR® for Herbal Medicines TM. Montvale, NJ: Medical Economics Company Inc. 2000. 858 p.
  26. Brendler T, Gruenwald J, Jaenicke C. PDR® for herbal medicines. 4th ed. Montvale (NJ): Thomson Healthcare Inc. 2007. 909 p. ISBN 1563636786.
  27. European Medicines Agency (EMA). [homepage na internet]. [Link].
  28. Flora do Brasil 2020 em construção [homepage na internet]. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. [Link].
  29. Missouri Botanical Garden [homepage na internet]. TROPICOS®. [Link]. Acesso em: 20 jan. 2020.
  30. The Plant List [homepage na internet]. Version 1. [Link]. Acesso em: 20 jan. 2020.
  31. Londrina. Prefeitura do Município. Fitoterapia: Protocolo. 3ª ed. Londrina, PR: Autarquia Municipal de Saúde. 2012. 99 p. il. color. [Link].
  32. Brasil. Ministério da Saúde, Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA. Vocabulário controlado de formas farmacêuticas, vias de administração e embalagens de medicamentos. 1ª ed. Brasília, DF: MS. 2011. 56 p. [Link].
  33. Oppido T. CID-OE: Classificação Internacional de Doenças em Odontologia e em Estomatologia. Ed. Santos: São Paulo. 1996. 230 p.
  34. Viana GSB, Bandeira MAM, Matos FJA. Guia fitoterápico. Fortaleza: Editora da UFC. 1998.
  35. Londrina. Prefeitura do Município. Fitoterapia: Protocolo. 1ª ed. Londrina, PR: Prefeitura do Município. Autarquia Municipal de Saúde. 2006. [Link].
  36. Brasil. Ministério da Saúde, Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA. RDC nº 10, de 09 de março de 2010. Dispõe sobre a notificação de drogas vegetais junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e dá outras providências. Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília, DF. [Link].
  37. Brasil. Ministério da Saúde, Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA. IN nº 05, de 11 de dezembro. Determina a publicação da "Lista de medicamentos fitoterápicos de registro simplificado". Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília, DF. [Link]. Acesso em: 29 jan. 2020.
  38. Brasil. Ministério da Saúde, Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA. IN nº 2, de 13 de maio de 2014. Publica a "Lista de medicamentos fitoterápicos de registro simplificado" e a "Lista de produtos tradicionais fitoterápicos de registro simplificado". Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília, DF. [Link].
  39. Oliveira FQ, Gobira B, Guimarães C, Batista J, Barreto M, Souza M. Espécies vegetais indicadas na odontologia. Rev Bras Farmacogn. 2007; 17(3, jul./set.): 466-476. ISSN 0102-695X. [Link].
  40. Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 389, de 13 de março de 2014. Estabelece o elenco de medicamentos e insumos da Relação Nacional de Medicamentos Essenciais-RENAME. Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília, DF. [Link].
  41. AD MUC®. Extrato fluido de Chamomilla recutita (L.) Rauschert. São Paulo: Biolab Sanus Farmacêutica Ltda., [s.d.]. Bula de remédio.
  42. PASSIFLORINE®. Passiflora incarnata L. + Salix alba L. + Crataegus oxyacantha L.. Rio de Janeiro: Millet Roux Ltda., [s.d.]. Bula de remédio.
  43. IMUNOMAX®. Gel-creme, extrato das cascas de Uncaria tomentosa. Colombo, PR: Herbarium Laboratório Botânico Ltda., [s.d.]. Bula de remédio.
  44. KAMILOSAN®. Extrato de Matricaria recutita L.. Guarulhos, SP: Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A., [s.d.]. Bula de remédio.
  45. Brasil. Ministério da Saúde, Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA. Resolução RDC Nº 199, de 26 de outubro de 2006. Dispõe sobre a notificação de drogas vegetais junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e dá outras providências. Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília, DF. DOU-208, 30-out-2006; Seção 1, v.XXX, n.XXX, p.167. [Link].
  46. Wannmacher L, Ferreira MBC. Farmacologia Clínica para Dentistas. 3ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. 2007. 545 p. ISBN: 8527713268.
  47. Hu Z, Yang X, Ho PC, Chan SY et al. Herb–drug interactions: a literature review. Drugs. 2005; 65(9): 1239–1282. [CrossRef] [Pubmed].
  48. Alexandre RF, Garcia FN, Simões CMO. Fitoterapia Baseada em Evidências. Parte 1. Medicamentos Fitoterápicos Elaborados com Ginkgo, Hipérico, Kava e Valeriana. Acta Farm Bonaerense. 2005; 24(2): 300-9. ISSN 0326-2383 [Link].
  49. Dresser GK, Spence JD, Bailey DG. Pharmacokinetic-pharmacodynamic consequences and clinical relevance of cytochrome P450 3A4 inhibition. Clin Pharmacokinet. 2000; 38(1): 41–57. [CrossRef] [PubMed].
  50. Fugh-Berman A. Herb–drug interactions. The Lancet. 2000; 355(9198): 134–138. [CrossRef] [PubMed].
  51. Delgoda R, Westlake AC. Herbal interactions involving cytochrome p 450 enzymes: a mini review. Toxicol Rev. 2004; 23(4): 239–249. [CrossRef] [PubMed].
  52. Obodozie OO. Pharmacokinetics and Drug Interactions of Herbal Medicines: A Missing Critical Step in the Phytomedicine/Drug Development Process. Cap. 7. p. 127-156. In: Noreddin A. (ed.). Readings in advanced pharmacokinetics – theory, methods and applications. Published by InTech: Croatia. 2012. 378 p. [CrossRef] [Link].

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License. Copyright (c) 2021 Revista Fitos

Versões