Análise das publicações etnobotânicas sobre plantas medicinais da Mata Atlântica na Região Sul do Estado da Bahia, Brasil

Gomez, M;
de Lucena, E A R M;
Gomberg, , E.

Marcella Gomez

Universidade do Estado da Bahia, Campus VIII – Paulo Afonso-BA. CEP: 48608-240.

http://orcid.org/0000-0002-2228-3481

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Santa Cruz (2007-2011). Mestrado em Ecologia Humana e Gestão Socioambiental pela Universidade do Estado da Bahia (2013-2015). Possui experiência profissional como educadora da rede estadual de ensino e em projetos de extensão pelo Instituto CABRUCA como bolsista de extensão pelo CNPq.

Emerson Antônio Rocha Melo de Lucena

Universidade Estadual de Santa Cruz – UESC, Ilhéus-BA. CEP: 45662-900

http://orcid.org/0000-0002-3486-9770

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal da Paraíba (1995), mestrado em Biologia Vegetal pela Universidade Federal de Pernambuco (1998) e doutorado em Biologia Vegetal pela Universidade Federal de Pernambuco (2007). Atualmente é Professor Adjunto do Departamento de Ciências Biológicas da Universidade Estadual de Santa Cruz. Exerceu a função de Vice-Coordenador do Curso de Biologia modalidade a Distância na UESC, atuando como Coordenador do Curso durante 4 meses. Foi Coordenador Pedagógico do Curso de Especialização Em Agroecologia Aplicada a Agricultura Familiar - Residência Agrária. Participou da Associação dos Docentes da Universidade Estadual de Santa Cruz (ADUSC), de 2011 a 2013 como Tesoureiro e de 2013 a 2015 como Presidente. Atualmente é representante da UESC no Comissão Interinstitucional de Educação Ambiental (CIEA) e representante no processo de construção do Programa de Educação Ambiental da Bahia (PEA). Ministra as disciplinas de Educação Ambiental, Estágio Curricular Supervisionado de Ensino de Biologia e Módulos Interdisciplinares. Tem experiência na área de Botânica, com ênfase em Etnobotânica, Biologia Floral e Taxonomia de Cactaceae, bem como na área de Ensino de Biologia, atuando principalmente nos seguintes temas: biologia floral, taxonomia, etnobotânica, Cactaceae e Educação Ambiental.

Estélio Gomberg

Universidade Estadual de Santa Cruz – UESC, Ilhéus-BA. CEP: 45662-900

http://orcid.org/0000-0003-3603-1872

Pós-doutor em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Bahia (2011); Doutor em Saúde Pública pela Universidade Federal da Bahia (2008), Mestre em Antropologia Social pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1998) e Graduado em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1993). Atua como Professor Adjunto I da Univ. Estadual de Santa Cruz, Bahia e como parecerista de Editais de Fomento à Pesquisa e Editoras Universitárias. Autor do livro Hospital de Orixás: encontro terapêutico em terreiro de candomblé (Edufba, 2011). Co-organizador das coletâneas: Candomblés: encruzilhada de ideias (Edufba, 2015); Informar e Educar em Saúde: análises e experiências (Edufba/Fiocruz, 2014); Racismos: olhares plurais (Edufba, 2010); Leituras Afro-Brasileira: territórios, religiosidades e saúdes (Edufba, 2009, 2012); Leituras de Novas Tecnologias em Saúde (Edufba, 2009); Temas de Alimentação e Cultura (Editora da UFS, 2007). Atuou como Coordenador Estadual do Programa Pesquisa para o SUS-Ministério da Saúde em Sergipe (2003-2005). Tem experiência de docência e de pesquisa nas áreas de Ciências Sociais e Saúde Coletiva. Atua principalmente nos seguintes temas: Saúde, Religiosidades, Ciência e Tecnologia


Palavras-chave

Medicina tradicional. Atenção à saúde. Pesquisa bibliográfica

Resumo

As populações humanas que ocupam florestas tropicais convivem com grande diversidade biológica e de seu repertório cultural destacam-se as práticas relacionadas ao uso popular de plantas para fins medicinais. O objetivo deste trabalho foi traçar um panorama sobre o uso de plantas medicinais por populações tradicionais da Mata Atlântica no estado da Bahia, Nordeste do Brasil, buscando valorizar o potencial etnofarmacológico local e contribuir para novas pesquisas fitoterápicas. Para isso foi realizado um levantamento bibliográfico-documental em repositórios virtuais sobre os estudos etnobotânicos já realizados, sobre o uso de plantas medicinais na cura e tratamento de doenças por comunidades tradicionais e campesinas desta região. Foram encontradas 21 referências sobre o uso de plantas medicinais por comunidades tradicionais e campesinas localizadas no estado da Bahia, das quais nove referem-se exclusivamente a Floresta Atlântica totalizando 276 espécies distribuídas em 77 famílias botânicas. A realização desse estudo permitiu a visão rápida e abrangente da produção científica envolvendo os conhecimentos tradicionais sobre o uso de plantas medicinais no atendimento primário a saúde e contribui para a valorização cultural associada ao desenvolvimento educacional e científico que envolve o conhecimento empírico de populações tradicionais.